terça-feira, novembro 30, 2010

DESTAQUE POESIARTE DE NOVEMBRO




A poesiarte apresenta: Dú Karmona  é a poetisa destaque da COMUNIDADE POESIARTE do mês de novembro.

*Nome: Dulcinéa Carmona (Dú Karmona) .
*Cidade de origem: São Paulo/SP.
*Cidade que representa: São Paulo/SP.
*Atividade: Poetisa.
*Membro dos Poetas del Mundo (entidade com sede no Chile).





-Vejamos uma poesia de sua autoria:


Anjo Caído

Grita o silêncio...
Ferindo a alma!
Asas caídas,
Traídas...
Som do delírio,
Anjos feridos...
Palavras ao vento,
Areias em brasa...
Olhos sem alma...
Universo em chama!
Flores no mar...
Alma que clama!
Mãos vazias...
Coração ferido,
Anjo caído...
Traído!

(Dú Karmona)

MEMÓRIARTE

*Praça Porto Rocha de Cabo Frio/RJ na década de 40 no século XX.

sábado, novembro 20, 2010

POESIARTE EM FOCO DE JL SEMEADOR






EPARREI OYÁ !!

Oyá, Oyá!
Aceite essa água de cheiro
Para acalmar a tempestade
Apagar o incêndio dos raios
E silenciar o clamor do vento

Oyá, Oyá!
Escute o meu lamento
Não peço haveres ou dinheiro
Apenas, que seque meu pranto
Ofertando-me um quê felicidade.

Oyá, Oyá!
Aquela que vence demanda
Guerreira de justo valor
Eparrei minha moça bonita
Com sua espada protegei-me

Oyá, Oyá!
Ó doce Mae de Aruanda
Senhora da Guerra e do amor
Liabá que nao teme a morte
Oyá Matambá, ê tatá emê.














*JL Semeador é poeta carioca.




Frase de JL:


"Afrodescendente é o cacete. Eu sou é gente. Não nasci com rótulo."

segunda-feira, novembro 15, 2010

O PUXA-SAQUISMO DESVAIRADO DE STANISLAW PONTE PRETA






O PUXA-SAQUISMO DESVAIRADO*




PUXAR SACO do Presidente da República é coisa que chaleira nenhum jamais conseguiu ou conseguirá ul­trapassar. O verdadeiro puxa-saco é vidrado em presiden­te da República, seja ele um verdadeiro homem de Esta­do, seja ele um cocoroca total. Esta condição intransponí­vel dos puxas é que levou o falecido Getúlio Vargas à Aca­demia Brasileira de Letras, numa época em que o ilustre homem público ainda não tomava simancol em doses su­ficientes para escapar ao ridículo de uma imortalidade li­terária das mais rebarbativas.
No setor administrativo, então, Deus me livre! Não há um prefeito cretino de cidade do interior que não so­nhe com uma praça para inaugurar com o nome do Presi­dente da República. A Pretapress, inclusive, já contou até a história daquele prefeito bronqueado com essas bestei­ras de estar mudando a toda hora o nome da praça princi­pal da cidade, com as constantes oscilações democráti­cas, ora inaugurando placa nova com o nome de Praça Presidente Café Filho, para logo mudar para Praça Presi­dente Kubitschek, depois Praça Presidente Jânio Quadros, e em seguida Praça Presidente João Goulart, outra vez para Praça Presidente Castelo Branco. O homem, provando ser um bom administrador municipal, acabou com essa fofo­ca, inaugurando a placa definitiva com o nome da praça: "Praça Presidente Atual".
Mas por que foi que eu falei isto tudo? Ah sim. . . no Ceará. Conforme vocês sabem, ninguém puxa mais saco da "redentora" do que os Estados de Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Sul. Pois imaginem só que no time do Ceará Sporting Clube, time que vem sendo um dos me­lhores do norte-nordeste, na disputa da Taça Brasil, tem um beque esquerdo chamado Eraldo, que é parente do Marechal-Presidente.
Ah, rapaziada... pra quê! O rapaz tem recebido as mais variadas demonstrações de puxa-saquismo do momento, a ponto de ser recebido no aeroporto do Recife, quando o time do Ceará Sporting Clube foi jogar contra o Náuti­co, de Pernambuco, por autoridades do IV Exército. Diz que o Eraldo não é militar, mas apenas capitão do time do Ceará, condição a que chegou mais por sua técnica fute­bolística do que por chaleirismo e, se é verdade o que nos manda dizer o correspondente, os jornais do Ceará não fazem por menos quando anunciam a formação do quarteto de beques do time campeão, formado por Pipiu, Bacabau, Caiçara e o dito Eraldo. Volta e meia as folhas esportivas metem lá: "Pipiu, Bacabau, Caiçara e o Capitão Eraldo de Alencar Castelo Branco".



*Stanislaw Ponte Preta ( Sérgio Porto) 
- Escritor natural do Rio de Janeiro/RJ. 
Nasceu em 11/01/1923 
e morreu em 29/09/1968.
*Crônica do livro "FEBEAPÁ 1" 
(Primeiro festival de besteira que assola o país).

quinta-feira, novembro 11, 2010

POESIARTE EM FOCO DE ANTÔNIO FRANCISCO CÂNDIDO



Um Minuto


O que é um minuto em nossas vidas?
Na sua? Na minha? Na de todos?
Pode ser tudo,
Pode não ser nada.

Em um minuto:
Uma vida nasce,
Enquanto outra é ceifada.

Um minuto pode significar:
Uma felicidade,
Uma tragédia,
Um encontro,
Um desencontro,
Um aceno para a paz,
Uma declaração de guerra.

Um minuto em nossas vidas,
Pode significar:
Um abraço de reconciliação,
Um beijo de união,
Um ato de traição,
Um coração que pára,
Uma boca que fala.

Um minuto parece não ser nada,
Mas é tempo que não se repete,
Uma dor causada a alguém,
Uma calúnia contra um amigo,
Um encontro de dois corações,
Duas vidas se unindo em uma só.

Um minuto pode ser tudo,
Também pode não ser nada.
Depende do momento,
Da ocasião,
Da situação,
De mim, de você e de todos.

 02/11/2010



Antônio Francisco Cândido - poeta mineiro.


MUSA POESIARTE

*Minha musa Camila.



Pétala
(Dedicada a minha linda Camila)

Na praça admiro sua beleza,
Fico contagiado
Com seu sorriso
E sua leveza.

Você é uma pétala,
Que voou da margarida
Num bem-me-quer
Angelical ao encontro do meu ser.

Pétala brasileira,
Que ao soar das notas musicais,
Entra no coração deste poeta.

Poeta, que fica a desenhar
Com versos e estrofes
O caminho do verbo amar.

(Rodrigo Poeta – 28/10/10)





Pétala
Composição: Djavan

O seu amor
Reluz
Que nem riqueza
Asa do meu destino
Clareza do tino
Pétala
De estrela caindo
Bem devagar...

Oh! meu amor!
Viver
É todo sacrifício
Feito em seu nome
Quanto mais desejo
Um beijo, um beijo seu
Muito mais eu vejo
Gosto em viver
Viver!
Por ser exato
O amor não cabe em si
Por ser encantado
O amor revela-se
Por ser amor
Invade
E fim!!...(3x)

segunda-feira, novembro 08, 2010

POESIARTE EM FOCO DE INGRID ALVES


O preço por amar

Amor é um sentimento
De vários sentidos;
É uma felicidade que dói
É uma dor por felicidade.

Você quer ao seu lado
E quer distância;
Sente carinho
E sofre ignorância.

Faz sentir-se completo,
Mas sempre algo te falta.
Deseja que seja eterno,
Porém um dia acaba.

De confiança e proteção
Pensa que eterniza.
De lembrança e humilhação
Corrói-se;
De choros e decepções
Finaliza-se.

Nascido de um olhar,
É o amor que te faz sonhar.
Alimenta-se do próprio amar.

Para acreditar que não irá acabar,
Finalizado por ingratidão,
É o amor com duas lanças na mão,
Uma querendo te arrebatar e outra te exterminar!

O amor te cega
E quando enxerga está louco.
O amor te prega peças
E quando visto está morto.
Neste mar de lamentações,

Afoga-se e leva consigo sequelas,
Dores e decepções,
Por não ter completado aquela...

A pessoa que te fez amar,
A pessoa que te fez sonhar,
A pessoa que te fez chorar,
A pessoa que te fez se decepcionar!

Por que me fizeste te amar?
Por que me fizeste  sonhar?
Por que me fizeste imaginar?
Por que me fizeste chorar?!

“Amor, um encanto e uma dor que nunca irá acabar.”





*Ingrid Alves - poetisa carioca.

domingo, novembro 07, 2010

POESIARTE EM FOCO DE CAMILA DE ARAUJO



SURTO!

            O corpo outrora entorpecido se manifestava lentamente através de pequenos espasmos e um estranho formigamento. O enjôo invadiu-lhe as entranhas. Uma mão quente tocou a sua. É a virgem, disse a si mesmo. Forçou a visão em busca daqueles que lhe levariam aos céus, vultos tomavam formas; rostos, lágrimas, olhares preocupados, semblantes tensos. Um homem de branco tomava-lhe o pulso:
            - Ele ta acordando, doutor.
            - Ele vai ficar bem?
            - Fala alguma coisa, meu filho
            - Guto, Guto! Sou eu, Glória, meu amor.
            - Cala a boca, menina. Meu filho você ta sentindo alguma coisa, ta me vendo?
            - D. Martinha, eu tenho o direito de falar com meu noivo.
            O rapaz dissonante aos poucos reconhecia aquelas pessoas, exceto o homem a sua esquerda que mandava todos ponderarem os ânimos. A imensidão alva pareceu se dispersar enquanto assimilava cada face chorosa que rodeava sua cama; a mãe, os irmãos, amigos, uma vizinha e duas senhoras portando terços e rezas infindáveis. E é claro, Glórinha, apertou a mão da amada.
            Guto olhou ao redor, as fileiras de camas e macas, o invisível frio da morte ganhando uma forma, belas mulheres desfilando pra lá e pra cá com injeções e comadres nas mãos. E seu corpo molenga sobre o leito, metido num avental azul, daqueles que deixa tudo a mostra. O que fazia ali? Pensou em acidente de carro, derrame, um AVC qualquer.
            Tentou falar, mas tinha a impressão da língua estar embolada dentro da boca. Sentia sede, molharam seus lábios com delicadeza. O enjôo dava lugar há uma dor estomacal. O médico injetou morfina em sua veia, uma quantidade mínima.
            O desconforto logo se extinguiu, de certo o efeito da medicação, ou o bem estar extremo que o invadiu ao perceber que os olhos inchados de todos estavam atentos a cada movimento involuntário seu. Recebia beijos, carinhos, mimos e proferiam repetidamente as mesmas frases de afeto e preocupação. Massageavam seu ego, exacerbavam sua vaidade e dilatavam seu orgulho. Imaginou-se um herdeiro de algum reino perdido, como se fosse à esperança de uma nação onde seu renascimento era celebrado. Divertiu-se com aquele lúdico devaneio.
            Quando o horário de visitas acabou a turma saiu com relutância.
            A sós com o médico, Guto o ouvia falar sobre comprimidos e uma carta ilegível:
            - Eu... Eu tentei me... M-a-t-a-r? – Perguntou o rapaz com dificuldade de falar.
            - Não se lembra? – Disse o médico
            - Lógico que não! Nem tenho motivos pra isso, doutor. Estou chocado. Estou feliz por ter visto todos se preocupando aqui. Sou um homem muito devoto a família, vou me casar em breve.
            - Não se sinta assim, rapaz. Não procure se explicar agora, apenas repouse
            - O que será que me minha mãe achou disso? Meu Deus, será que ela acha que tem um filho fracassado ou marica?
            - Com certeza ela não acha nada disso.
            - E Glórinha? Será que minha futura esposa me julga um homem covarde? Se ela me deixar, doutor, aí sim que vou ter motivos pra me matar.
            - Calma! Repouse, é o que você precisa agora, juntos depois vamos encontrar essas respostas com ajuda profissional.
            - Você acha que sou louco? Eu sou louco? – Perguntou Guto agitadamente
            - Não, rapaz. Guto, me escuta, descansa. Eu preciso atender outros pacientes agora. – Disse o médico
            - Doutor, se eu surtar? Chama uma enfermeira pra ficar aqui de olho grudado em mim!
            - Guto, as enfermeiras estão sempre de olho. Se precisar de qualquer coisa pode chamá-las e mandá-las me procurar.
            - Tem certeza? E se eu tentar de novo?
            - Tenho certeza que não o fará. Agora tenho que ir, qualquer emergência mande me chamar, certo garotão? Repouse agora.
            Guto não encontrou razões que o levassem a dar fim a própria existência, pelo contrário, iria casar em breve, era um comerciante prospero. Sua vida era aparentemente perfeita até demais. Exceto quando precisava livrar os irmãos dos porcos quando se metem em confusão na Boca por causa de drogas. E ninguém o criticava ou questionava quando decidia e pagar uma rodada de chope para os colegas e as contas de cabeleireiro e remédios da mãe. Desde que o pai morreu, assassinado por uma amante há três anos, que todas as responsabilidades da família pousaram em suas costas, e tem que ser muito macho pra agüentar isso, Guto tinha pensava em Glória, modelo, sempre elegante com os vestidos que o noivo fazia questão de comprar nas melhores lojas, e não tinha duvidas da sua virilidade.
            Pousou a mão sobre o estomago, sentia as dores voltando. Pensou em chamar o médico. Gritou pelas enfermeiras, acusando dores alucinantes.
            Enquanto isso Doutor Nelson caminhava pelo corredor, num divertido e sádico monologo interior: Pois é, no fundo, todos os suicidas não passam de uns carentes sedentos por atenção.




*Camila de Araujo - escritora carioca e blogueira.

sexta-feira, novembro 05, 2010

ARTIGO DE ANTHONY MOHAMMAD

MAYARA PETRUSO
“ ADOLF HITLER DOS NORDESTINOS???” 
Xenofobia Não!

No final da apuração que elegeria a primeira mulher no maior cargo político Brasileiro 
"Dilma Russef " como presidente , uma outra mulher estava disseminando o ódio e a xenofobia pelos meios da internet.
Mayara Petruso , esta mesma usou o Twitter um microblog  que permite enviar ou receber noticias , materiais , divulgações , questões de empresas , órgãos não governamentais, artistas e ate governadores , deputados estaduais e federais.
Esta mesma com suas palavras preconceituosas pregando a morte de pessoas , cidadãos brasileiros da região do nordeste.
Isso lhe custou caro, e a mesma perdeu seu emprego no escritório Peixoto e Cury Advogados que logo sabendo o ocorrido lançou em nota pois as mensagens de Mayara Petruso desencadeou uma onda de preconceitos contra os nordestinos no TWITTER.
Os perfis de Petruso foram retirados do Facebook e Twitter , a OAB do estado de Pernambuco entrara com uma representação no Ministério Publico federal de São Paulo contra Petruso.
O pedido da OAB do estado de Pernambuco pede a instauração de uma ação  penal no qual ela respondera pelos crimes de racismo.
Ela e estudante de direito na FMU – Faculdade Metropolitanas Unidas , Em suas ultimas palavras  vendo o tremendo problema que esta por vir resolveu pedir desculpas  mas  não foram tão enfáticas!
“MINHAS SINCERAS DESCULPAS AO POST COLOCADO NO AR, O QUE ERA ALGO PRA ATINGIR OUTRO FOCO, ACABOU SAINDO FORA DE CONTROLE. NÃO TENHO PROBLEMAS COM ESSAS PESSOAS, PELO CONTRARIO, ERRAR É HUMANO, DESCULPA MAIS UMA VEZ.” 

(MAYARA PETRUSO)
 Nota se que ela se refere aos nordestinos como “ ESSAS PESSOAS”  sendo de gênero ate interpretado como separação de algo ou diferenciado.
Não sabemos quais problemas ela teve com pessoas e trabalhadores nordestinos que no estado de são Paulo sempre esteve em luta para melhoria do estado em si e de seus familiares, não sabemos se ouve alguma mágoa , amor não correspondido ou apenas não ser aceita pela grande comunidade nordestina no estado , sabendo se que todos moradores do Estado conhece muito bem  a comunidade nordestina  grande e fraterna para com todos.
Mayara Petruso Adolf Hitler dos nordestinos, assim interpretada pois seu ódio aos mesmos , e como Hitler nazista aos Judeus .
Atos de xenofobia , discriminação, bulling via internet e crime ,na Constituição da República (artigo 5º, inciso XLII), é considerado um delito inafiançável e imprescritível. No artigo 1º da lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, com redação determinada pela lei nº 9.459, de 13 de março de 1997, é possível ler o seguinte: “Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”.
Qualquer pessoa que se sentir  tocada ou lesada de certa forma pode tambem mover um processo contra a estudante de direito , creio que seria o maior ato de democracia do pais e assegurar a paz , pois assim as palavras erroneas de tornam positivas quando aprendemos com nossos erros.
Nao só Mayara Petruso “ Hitler dos nordestinos” assim interpretada por alguns sites e comunidades do Brasil , tambem tivemos outros soldados 
" nazistas e xenofobicos "  que estao com seu  perfil sendo lançado em videos no YOUTUBE e etc , estes sao :
@Merlinlipe ( Fernando Oliveira) – Clayton americo @claytonamerico – Jessica Oliveira @jessysalvatore -  Ju Balog – Carolina Salgueiro – Leandro Zanetti – Lucas Gasparello –Suehelen Hernanski – Andre Bittarello – Eduardo Oliveira Junior – Andre Oliveira – Paloma Biavati – Bruno Henrique – Felipe j. Martins –
Estes sao alguns que estao sendo divulgados e com seus palavriados , creio que as empresas , faculdades e empresários que tem algum vinculo e contato com os mesmos deveria tomar ciência do fato.

Vamos pensar Brasil! Não a Preconceitos e XENOFOBIA! 





  









Dr. Anthony Mohammad.
– Teólogo Universal e D.H.C Comércio Exterior na religião .
– Embaixador da paz pelo pacto global da ONU.
– Oficial da PAC Patrulha aérea Missão de paz. 
– Membro Correspondente da Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências.

segunda-feira, novembro 01, 2010

ENTREVISTA COM CAMILA DE ARAUJO



*Nome: Camila de Araujo.
*Data de nascimento: 24/01/1991.
*Cidade de origem: Rio de Janeiro/RJ.
*Cidade que representa: Rio de Janeiro/RJ.
*Atividades: Estudante e blogueira.
*Email: Heyjude_rj@hotmail.com




- Vejamos a entrevista feita por Rodrigo Poeta com a blogueira do blog Teoria do Playmobil, Camila de Araujo:


1-Como nasceu a ideia da Teoria do Playmobil?

*Camila: Eu conheci a Teoria do Playmobil numa comunidade de site de relacionamentos. Na verdade, acaba sendo uma antítese, porque na vida a gente sempre encontra algo que vai tirar o nosso sorriso do rosto, porém se levar pro lado lúdico fica mais divertido.

2-Como você analisa culturalmente os blogs na internet?

*Camila: Não cito nem esse sucesso de vlogs no Brasil. Acho que é passageiro, assim como a onda do Flogão. Num patamar mundial, acho que os blogueiros são os novos formadores de opinião. Usando seus blogs como ferramenta para isso, já que estamos cada vez mais tempo conectados na rede, sempre tendo cada mais acesso a isso e conquistando principalmente aqueles que não são muito chegados em livros e revistas, como boa parte dos jovens que permanecem online.

3-O que faz inspirar você na sua escrita?

*Camila: Basicamente o que eu leio e escuto me influência muito. Jornalistas, escritores, poetas, dramaturgos, músicos como os Beatles e Los Hermanos.

4-Quem a influenciou?

*Camila: Primeira meu pai Raul que é um grande homem que sempre tem algum ensinamento, de grande caráter ecoração, meu irmão Rafael, que é uma das poucas pessoas que conseguiram ver as minhas qualidades e alguém que sempre me ajudou e ajuda em todos os momentos da vida. Minha irmã Beatriz que é uma figura, super inteligente, descontraída, pra cima, animada e trabalhadora e minha avó que é o amor da minha vida. E meus ídolos como os Beatles, Marcelo Camelo, Rodrigo Amarante, Nelson Rodrigues e confesso, meu herói desde a infância, aquele repórter Belga, o Tintim.

5-Quais são os autores da literatura mundial que você admira?

*Camila: Nelson Rodrigues com sua escrita lasciva, Sidney Sheldon já mais cinematográfico e o velho safado Bukowski, escatológico e ácido, me influenciam muito por cada um ter uma forma de abordar as relações humanas. O Nelson é a minha maior influência, o admiro como profissional, dramturgo, porque apesar de numa linguagem folhetinesca, ele não tem o Personagem Moral, ou seja, a história não se converte pra uma moralidade, e com isso a torna mais humana.

6-Fale um pouco da Teoria do Playmobil? Cite exemplos.

*Camila: O blog veio depois de muitas reformulações e inserções de novos temas no meu antigo blog Casa do Besouro, onde eram apresentados inicialmente apenas contos e que ainda podem ser encontrados mesmo com este endereço. Nessa nova versão, eu falo sobre literatura, cinema, games, música, poesia e assuntos da cultura pop em geral, tem de tudo um pouco, mas os contos ainda são com certeza a sua maior referência. Por alguns eu tenho um carinho muito especial como Janta, Folia, Noite Carioca, O Tabuleiro, Aquele Abril...

7-Já realizou algum projeto de âmbito cultural?

*Camila: Infelizmente não. Mas eu tenho muita vontade, principalmente algo voltado a literatura que sem dúvida enriquece muito as pessoas em vários sentidos. A literatura pra mim é a história pela arte, por uma arte, que é a arte de escrever. Eu pretendo daqui há alguns anos fazer pós-graduação em literatura inclusive, mas isso é uma coisa com bastante tempo ainda a se pensar. 

8-Como você analisa a pirataria comercial?

*Camila: Sendo uma ilegalidade que sustenta o crime organizado, eu sou contra. As pessoas que se beneficiam disso não tem direito de reclamar de assalto, por exemplo, é uma visão radical, até porque eu sei que tem custo caro pra maioria da população brasileira, principalmente por causa dos impostos que acabam no bolso dos porcos corruptos que elegemos.

9-Deixe uma mensagem para posterioridade.

*Camila: Faça do que você acredita, os pés que vão te guiar.