terça-feira, abril 26, 2011

ARTIGO DE ANTHONY MOHAMMAD



Repúdio a Caio Blinder "Manhatan Connection", 
gera crise diplomática ao Brasil

Realmente algumas pessoas não tem noção de usar sua democracia para expressar casos que de fato dão importância a mente Humana e Brasileira como os descasos políticos para com a sociedade e como estamos vivendo momentos difíceis no Brasil prestes a uma inflação.
O jornalista Caio Blinder , renomado e cogitado teve gafes enormes durante o programa "Manhatan Connection", da Globo News.
O mesmo não só desrespeitou as mulheres Árabes , as mulheres muçulmanas , a monarquia internacional como as mulheres do mundo todo!
O mesmo não teve pudor em suas palavras em dizer “ Piranha “ e nomes de mais baixo calão , desrespeitando também  a família Brasileira e nossos laços de comercio , diplomacia com os países citados.
O mesmo Caio Blinder disse:
"Politicamente, ela [Rania] e as outras piranhas são intragáveis. Todas elas têm uma fachada de modernização desses regimes - ou seja, não querem parecer que são realeza parasita e nem mulher muçulmana submissa. Isso é para vender para o Ocidente, enquanto os maridos estão lá, batendo e roubando", declara Blinder, segundo informa a jornalista Cristina Lemos.
Estas palavras pré conceituosas deste cidadão pré julgatorio , quebra inúmeros decoros , sendo humanos , religiosos e da monarquia internacional .
Fazendo se entender  uma xenofobia Islâmica , mas também destratando todos os direitos feministas que no Brasil já vivemos problemáticas.
Um senhor que se diz comentarista , de âmbito internacional cometendo até uma grande crise a nosso Pais com estes outros territórios que colaboram financeiramente com a evolução do Brasil , sabendo se que a Embaixada da  Jordânia recebeu o apoio de outros 17 embaixadores, que repudiaram a atitude do jornalista. 
Em nome do nobre Embaixador Sr. Ramez Goussous, da Jordânia que deseja a retratação de Blinder , mais o apoio da comunidade Islâmica no Brasil e no mundo.
Caio disse :
"Não me refiro às mulheres como piranhas, sejam elas árabes judias, esquimós...E não é uma questão política. Aliás, eu faço críticas políticas; não a pessoas. Eu errei e estou pedindo desculpas", finalizou. 
O mesmo assume seu erro , mas diz também estar correto , analisamos um pouco de controvérsias em suas palavras . Este senhor não deve se retratar apenas a REDE GLOBO , mas a todas as mulheres do BRASIL , e mundo , dentre as comunidades Islâmicas , a Embaixada da Jordânia , Síria e outros países árabes que estão nesta carta repudio.
“ Quem fala o que quer , ouve o que não quer” então o mesmo que rapidamente se retrate pois com toda certeza recebera inúmeros insultos , processos e etc.
Sentimos vergonha de termos comentaristas tão despreparados na televisão Brasileira sem qualquer sabedoria sobre religião , costumes , respeito , democracia , e direitos nobiliárquicos internacionais.
Meu repudio a fatos como este.     


          










Dr. Anthony Mohammad – Embaixador do Pacto Global da ONU Signatário do Pacto Internacional – Teologo Universal – Filosofo Islâmico-  Comércio Exterior na Religião -DHC em Filosofia da  Geopolítica – Oficial Da PAC – Missão de paz Haiti Dep. Da Inteligência – Capelão ( Missão Internacional) – Poeta – Menbro da ACLAC – MAM – Movimento Poetas Árabes do Mundo.  
*E-mail: anthony.r.rasib@hotmail.com

segunda-feira, abril 25, 2011

ARTIGO DE CUNHAMBEBE




PROTEST

        No meu dia não há feriado. Protest. Meu povo é a raiz desta terra Tupiniquim. Há mídia para o sangue em escola, para mosquito, para pessoas desiquilibradas, mas não para o meu povo.
        Inconfidentes são enterrados como heróis na terra piramidal de Minas Gerais, e nós! Nada...Somos problema para o progresso e estamos sendo contaminados pela peste branca.
       Os curumins já nascem com a cara do Tio Sam Made in China.
       Índio moderno sofre e chora quando vê o que resta da devastada terra, que está a ser mais e mais pelos bandos do Guriri. Tudo pela ganância finita, pois um dia ela terá um fim triste em nome de Tupã escrito nas estrelas.
       Tribos são tratadas como lixo!
       Transporte aqui não é coletivo e sim de latas de sardinhas na terra do Sol dos Lagos entre salineiras a sumir no horizonte.


      A laguna são fezes a tempo seco e chuvoso para Darwin em outra encarnação ver.
      Curumim diz que escola de branco é ruim...
      A coisa está feia e todo mundo sorrir, mesmo que não há dente se quer...
        Sucupira City é cidade sem lei. É cidade para uma dúzia de cidadãos para os outros a esmola é um cala boca e quiçá um ganha pão fantasmagórico.
        Saudade dos meus curumins do passado. Quem fala é perseguido, a ditadura é camuflada em pseudodemocracia nesta nação em que Tupã é sangue em navalha de clandestino.
      O povo do Sol dos Lagos quer progresso, mas esquece que sem planejamento e ordem entre as tribos é desastre total.
      A política é mentira. Se os franceses dominassem estas terras com o nosso apoio e se tivéssemos vencido a guerra contra esses lusitanos de pouca fé e de muita vergonha, o rumo daqui poderia ser outro ou pior como uma terra para lá do centro da América de nome Haiti.
      Fica aqui meu repúdio e o meu protest! Soy índio não, sou nativo dessa terra, onde o solo é sagrado, o sal é ouro, árvore de sangue vermelho é tesouro, peixe é alimento, tudo isso em comunhão aos olhos da natureza pelas mãos de Tupã!
       Espero que em uma breve lua possamos malhar não o Judas, mas sim o causador disso tudo: capitalist hominis.


       Da Terra Lagunar entre provas de papel e sementes de aroeira no chão para o editor via avião não tripulado vindo da Líbia!


        Segue um vídeo de um nobre mestiço:



      

*Cunhambebe 

-Chefe de várias tribos de letras 

e aliado de seres extraterrenos independentes.



O TEXTO "VOCÊ NÃO É UMA NOTA" DE RODRIGO POETA É FONTE DE PESQUISA DE UM UNIVERSITÁRIO DA BAHIA!

*O TEXTO FAZ PARTE DE UM PORTFÓLIO DO UNIVERSITÁRIO DANIEL RIBEIRO SILVA DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA.
O TEXTO SE ENCONTRA NA PÁGINA 15 DA PESQUISA.
*SEGUE O PORTFÓLIO NA ÍNTEGRA:

domingo, abril 24, 2011

NOTÍCIAS DIRETO DO JAPÃO POR ALESSANDRO NAGATA

*Arte de Fátima Queiroz.

Fala meu amigo! Tudo bem aí? Como estão as coisas? Aqui estou levando, porque depois do terremoto só  trabalhei 1 dia e meio. Estou parado. O terremoto afetou o Japão inteiro. Desculpa a demora a para lhe responder. Saudades amigo!Grande abraço. 


*Alessandro Nagata - Abril de 2011/Japão.


Nagata é um grande amigo meu de infância, que admiro muito e espero que volte para o Brasil. Saudade de você também amigo!


(Rodrigo Poeta)

NOTÍCIAS DIRETO DO JAPÃO POR EDWEINE LOUREIRO

*Arte de Fátima Queiroz.

No ultimo dia 11, completou um mês dos terremotos e tsunamis no Nordeste japonês. Ao contrário do que a imprensa internacional transmite, não se está às portas do inferno, com a radiação espalhando-se pelo país e a toda a população bebendo água contaminada. Tampouco está ocorrendo uma recuperação milagrosa, como tentam passar mostrando imagens de estradas sendo reconstruídas em menos de uma semana. Como todo desastre natural – e nesse caso agravado por uma crise econômica crescente (o Japão começava a vencer a crise finaceira global, quando os terremotos aconteceram) –, a recuperação será lenta e demandará esforços extras de um povo conhecido já pela dedicação ao trabalho. E da ajuda internacional também. Portanto, amigos brasileiros, venho fazer hoje um pedido: não esqueçam o Japão.
Nota: Continuo a campanha, através da venda de meu livro Clandestinos, para ajudar as vítimas dos terremotos e tsunami no Japão:








Edweine Loureiro* - Saitama - Japão - 15/04/11.
*Escritor e poeta. Autor do livro: "Clandestinos" .
*Edweine já foi um dos finalistas do CONCURSO POESIARTE. 

ARTIGO DE ANA PAULA MARINHO


BULLYING



Mais uma vez estou aqui para falar sobre um assunto que tem levantado grande polemica e revolta em certos casos. Então, vamos lá...
Nos últimos anos temos escutado muito falar no Bulying. Esse tipo de opressão tem se tornado muito polemico na sociedade, mas para você o que é o Bullying?
Esse transtorno é muito comum entre crianças, nas escolas ou nas ruas, ele é acompanhado de comportamentos inadequados, na maioria dos casos as “vitimas” são crianças com: excesso de peso, tímidas, quietas, com dificuldades de socialização, que sofrem por preconceito racial ou social. Eles são quem mais chamam a atenção de seus agressores, que sempre são crianças nominadas como “líderes” de certos grupinhos de amigos.
Hoje no Brasil é muito fácil encontrarmos um caso de Bullying nas escolas. O grande problema dos educadores é saber lidar com esse tipo de situação, a direção da escola também é responsável por manter a ordem dentro da instituição. Essa dificuldade de administrar um caso de bullying deve-se porque em certos casos os pais não vêem que esses atos de seus filhos podem ser prejudiciais ao colega da criança, os próprios pais vêem essa situação como uma brincadeira inocente entre crianças, que o filho só está se divertindo ou tendo uma atitude impensada. Mediante a essa situação, os responsáveis não punem a criança como se deve, não são capazes de reconhecer que esse tipo de atitude não é saudável para a criança. Por isso os educadores ao se depararem com essa situação, ficam sem saber exatamente o que fazer com o agressor, porque esse tipo de educação também começa de casa.
Temos tido alguns caso de bullying na mídia, no Brasil um caso recente que apontaram como caso de bulying, foi o massacre em uma escola municipal em Realengo (março de 2011) no Rio de Janeiro.
O acusado de matar as crianças (e logo em seguida se matou) deixou gravado em vídeo, que as opressões que ele sofreu naquela mesma escola quando adolescente foi o motivo dele ter feito aquilo, para ele foi uma forma de protesto contra os que cometem esse tipo de opressão contra o próximo.
Ele diz que na época de estudante naquela escola, o mesmo sofreu com agressões físicas e morais, intimidações e zombarias, relata também que sofreu pelo fato de seus colegas não respeitarem seu jeito tímido de ser e sempre o usavam como “piada” na frente de outros alunos. Pode ser esse o resultado para um caso de bullying? Será que o bullying é capaz de deformar a mente de uma pessoa?
São Paulo, 2003
Edmar Aparecido Freitas, 18 anos, era motivo de zombaria dos colegas de classe desde os sete anos de idade. Em 2003, ele foi ao colégio em que estudou armado com um revólver, atingiu nove pessoas e depois se matou.
(Fonte: http://fotolog.terra.com.br/bullying:8)”
Até que ponto iremos aceitar esse tipo de comportamento entre nossas crianças? Crianças que crescem em uma geração violenta onde o que é comum de se ver, são mortes e violência para onde se olha.  Até quando os pais irão fechar os olhos para esse problema? Até quando irão fingir que o bullying não existe e tomar uma atitude diante dessa situação? Por que são os pais os principais conciliadores de seus filhos, é deles a obrigação de averiguar e orientar as crianças para o que é certo ou errado, são os responsáveis de conversarem com os seus filhos (tanto agressores como vitimas) e darem educação de como deve ser um comportamento descente perante uma sociedade, que já não aceita mais esse tipo de comportamento.
Você tem observado seu filho, sobrinho ou neto? Será ele uma vitima de bulying? Ou será ele um opressor? Lembre-se: você é responsável pela formação de caráter de cada criança e é exemplo para os adolescentes. Suas atitudes refletem sobre os menores, então cabe a você observar o comportamento das crianças e vê o que há de errado.
Os sintomas de das crianças que sofrem com esse tipo de opressão, é o medo, a depressão, o isolamento e perda de vontade de ir para a escola ou se socializar com outras crianças. Os agressores nem sempre apontam sinais de que praticam esse ato (até involuntariamente), mas agressividade com outras pessoas pode ser um sinal.
Então fique atento aos sinais, você pode evitar que a criança ou adolescente de hoje, seja o responsável de um ato violento que pode ocorrer amanhã. Temos visto claramente casos e quase que diariamente tragédias envolvendo o bulying, não sejam vocês contribuintes para a violência. Diga não ao bullying, existem muitas crianças que sofrem com esses atos. Vamos reconstruir a educação de nossas crianças. Pense nisso!
Por hoje é só... Até mais.






















Ana Paula Marinho (23/04/2011)
*Link da poetisa: http://apmacf.blogspot.com

sábado, abril 23, 2011

MALHAÇÃO DE JUDAS É CULTURA E HISTÓRIA!




Cidades brasileiras, tradição vai diminuindo a cada ano. Costume trazido pelos portugueses e espanhóis para toda a América Latina, a malhação do Judas no sábado de Aleluia aos poucos vai desaparecendo das grandes cidades, restringindo-se cada vez mais ao interior do Brasil: Malhar o Judas.
Tradição folclórica que exterioriza emoções
Dia de malhar Judas. Seja na forma de um político – Collor, Zélia e seu plano econômico não vão sair ilesos -, de um dirigente, da fofoqueira do bairro ou qualquer pessoa que incomode, os bonecos vão subir aos mastros dos postes e, ao meio-dia, serão malhados a pauladas, explodidos, queimados, atropelados, enfim, eliminados. Como bodes expiatórios, é neles que o povo vai extravasando a sua insatisfação com a situação reinante.
No começo, o boneco representava a figura do Judas Iscariotes; aos poucos, outras personagens foram substituindo o traidor de Cristo, numa manifestação folclórica tradicional, da qual participa toda a comunidade, do avô ao neto. Os nossos Judas aparecem em postes, amarrados em carros, deitados nas ruas e, em muitos casos, deixam até testamentos. Além disso, às vezes, o ato da malhação é realizado ao som de músicas especialmente compostas para a ocasião.
A malhação de Judas está incorporada aos costumes dos povos de quase todo o mundo. Segundo a folclorista Meire Berti Gomiero Fonseca, que vem pesquisando o assunto há alguns anos junto com equipes formadas por seus alunos, a queima do Judas parece se relacionar ao rito pagão do Fogo Novo, herdado dos hebreus, sobrevivendo entre os povos civilizados. Na Córsega, no século XIX, era costume um grupo de rapazes percorrer no Sábado de Aleluia as comunas da ilha gritando “Fogo Novo”; na Lorena Francesa, esse fogo era feito com palma benta dos anos anteriores na porta do cemitério; na Alemanha, vestiam um menino de Judas, para depois sofrer a prova do fogo sendo balançado pelos mais fortes e altos por cima da fogueira.
Cada lugar incorporou a queima de Judas de uma forma. Em Mittelbron e Nelling, os bonecos eram queimados em frente aos cemitérios e igrejas; no Alto Reno, queimavam-se vestimentas e ornamentos eclesiásticos no cemitério, bem como velhas cruzes e caixões. Na Suíça, o Judas era morto com fuzil, queimado, havendo o costume de quebrar louças sobre ele, enquanto em Portugal era submetido a julgamento, depois enforcado e queimado, o que provocava estouros de bombinhas colocadas dentro do boneco.
Há países em que a queima do Judas representa um repúdio às forças do mal e, por isso, o ato é praticado no início ou no fim das colheitas, para espantar os demônios que esterilizam as plantações. No Brasil, por sua vez, sabe-se sobre a malhação de Judas desde o século XVIII, quando, no Rio de Janeiro, os bonecos traziam fogos de artifício presos no ventre, que eram acesos no Sábado de Aleluia, e ardiam sob os aplausos frenéticos do povo, como uma vingança à morte de Jesus.
Ainda segundo Meire Berti, as primeiras descrições desse evento no Brasil foram feitas pelo gravurista Jean Baptiste Debret. De acordo com ele, o Judas era confeccionado com roupa e tecido de palha, com máscara e boné de lã que lhe formava a cabeça. Também eram colocadas bombas nas juntas para melhor dilaceração das partes na hora da queima, que era precedida pelo enforcamento.
“Na dinâmica do folclore, a figura do Judas Iscariotes foi substituída por críticas à situação reinante”.
O Judas de antigamente não é mais o mesmo. O traidor de Cristo de hoje veste roupas e sapatos modernos, usa gravata e chapéu e tem, até mesmo, companheira, que vai para a fogueira junto com ele. O Judas de hoje não pode falar, mas muitas vezes seu recado vem através de uma tabuleta, onde quem o executa extravasa toda a sua insatisfação. Além disso, em muitos lugares no Brasil, faz-se até o seu julgamento e, antes da malhação, lêem o seu testamento, que, na maioria das vezes, é apresentado na forma de versos. A Brincadeira da Malhação do Judas era feito no sábado de Aleluia, isto é,  no  sábado anterior  a  páscoa.
Tudo começa na noite de sexta feira quando se pendurava em um poste da ELFFA (celesc) perto  de casa  um  boneco  representando  o Judas. Para se confeccionar o Judas usava-se :
  "Uma calça masculina, um par de meias masculinas, uma camisa
     de mangas compridas, luvas mas se não tiver pode usar meias
     masculinas também e um saco para fazer a cabeça do Judas."
Tudo  isso  era  costurado  ligando  uma  peça  a  outra, na  camisa se costuravam a calça, as luvas, o saco para a cabeça, nas pernas da  calça se costuravam as meias para se fazer os pés. Tudo isso  era preenchido  com  palha,  serragem ou restos de papéis, para ficar parecido  com uma pessoa. Depois de pronto amarrava-se o Judas noposte.  Em geral dava-se a ele o nome de uma pessoa da comunidade ou  de  um  político.  Uma placa pendurada no pescoço ostentava o nome que jocosamente lhe era dado.
No Sábado o Judas já amanhecia pendurado no poste. Conforme as crianças iam  acordando,  já  vinham  reunir-se junto ao poste à espera da brincadeira.  Em  geral,  eles  se  armavam  com um pedaço de pau, sarrafo  de  cerca  ou  algo  parecido. Lá pelas 9 ou 10 horas da manhã  alguém  descia  o  judas  do  poste, amarrava uma corda no pescoço  ou  por  baixo dos braços do Judas, para poder puxar sem ele se partir.
 Ao grito de ” vamos malhar o Judas” um pegava  na corda e saía correndo com  o  Judas amarrado e o resto da turma ia correndo atrás com o pedaço  de  pau  a  bater  no  Judas, faziam isso ate que o Judas começasse  a  se desfazer por causa das pancadas, ai então ateava-  se fogo  ao  Judas e saia correndo com ele novamente, até que não sobrasse  mais nada. Só sobrava a corda e muitas vezes ela também era incendiada.   
A tradição é amarrar os bonecos nos postes. Muitas vezes, eles são enforcados, mas, em outras, eles aparecem pendurados nas casas, deitados no meio da rua – caso observado ano passado, quando ao lado de um defunto existia uma tabuleta com as palavras Cruz Aids – ou sentados ao redor de uma mesa – na época da Diretas Já, foram encontrados, bonecos que focalizavam políticos confabulando numa mesa de negociação. O que o brasileiro põe dentro dos bonecos, para estourar ou queimar, também é muito variado: uns usam estopa embebida em querosene, outros fabricam até pólvora artesanal para explodir dentro dos Judas.
Na hora da malhação, é característico, entre as crianças e adultos, usar paus com pregos e a exteriorização dos sentimentos através de frases do tipo: “Maldito! Traidor! Vamos matar esse patife! Vamos queimar essa porcaria! Um dia da caça, outro do caçador!” e muitos ouros. “Além da aceitação coletiva, pois toda a comunidade participa na confecção e malhação do Judas, essa tradição folclórica popular deve ser vista dentro de um contexto muito mais rico, já que nele encontramos um pouco e tudo: literatura (nos testamentos), provérbios folclóricos e música. É lógico que não em todos os lugares.





UMA CHARGE PARA REFLETIRMOS!

*Charge de Casso. 
*Link do autor

sexta-feira, abril 22, 2011

ARTIGO DE JADE MELLO




A ABRANGÊNCIA PSICOLÓGICA DA TV


                 A televisão nos dias de hoje, se torna uma ferramenta indispensável para o dia-a-dia. O modo na qual ela muda e forma opiniões é questionado por estudiosos e muitas famílias, principalmente por aquelas que pela primeira vez estão quando crianças a se encontrar na situação de escolher o que é melhor.
                Jovens antenados e conectados com mundo todo e adolescentes que formam uma opinião divergente da maioria, acabam se tornando alvos de preconceito e discriminação.
                Os caminhos que a televisão leva a quem assisti, podem ser vantajosos e também prejudiciais. Aos que causam danos de forma direta e indiretamente, é necessário que haja um tratamento com pleno apoio da família e dos que convivem com esses indivíduos.










*Jade Mello 
- É estudante do  3º ano do Ensino Médio do Instituto Genária  Viana de Iguaba Grande/RJ.
Maquiadora, aspirante a Turismóloga, apreciadora da moda, beleza, música e atualidades.

segunda-feira, abril 18, 2011

MAIS UMA CONQUISTA!

OS DEZ MANDAMENTOS!

*Rodrigo Poeta com o busto feito 
em sua homenagem 
pelo amigo 
e artista arquitetônico 
Weslei Rodrigues.



Os 10 mandamentos que me fizeram ser o melhor poeta da atualidade na Região dos Lagos:

1-Estudar sempre.
2-Sempre se aprimorar.
3-Não só fazer poesia, mas também fazer com que as pessoas façam poesia.
4-Respeitar os grandes nomes que já se foram...
5-Observar e fazer amizades produtivas.
6-Criar sempre.
7-Ser da Terra e ser atuante.
8-Amar o que faz e mostrar quem é.
9-Divulgar a poesia ao mundo.
10-Projetar a poesia através de Concursos de Poesia, Saraus, Recitais, Oficinas e Projetos voltados à literatura, memória cultural e claro à poesia!

*O que ganhei nestes 18 anos de literatura:

1- Vários prêmios em diversos estados brasileiros.
2- Textos publicados em várias partes do país em jornais, revistas, sites, blogs e antologias.
3- Muitos amigos e inimigos (CAECA EST INVIDIA).
4- Respeito.
5- Estar em 10 entidades acadêmicas e culturais da Região, de São Paulo/SP, Salvador/BA, Manaus/AM, Minas Gerais e do Chile.
6- Em ser o mesmo desde o início como pessoa, mas com mais sabedoria.
7- Em dizer: "Sou melhor e pronto. Não preciso me vestir de palhaço para aparecer".
8- Se firmar como poeta e acadêmico.
9- Construir amizades eternas.
10- Agradecendo sempre aos amigos, parceiros, inimigos (OS QUE MAIS ME INCENTIVAM A SER MELHOR MAIS E MAIS) e claro ao poeta maior: DEUS.

*Não ganho dinheiro com que faço, mas faço minha parte com meus versos!

domingo, abril 10, 2011

MEMÓRIARTE

*Casa do grande fotógrafo cabo-friense Wolney Teixeira antes de ir ao chão.
*Foto tirada ainda no início deste século!



*A casa do maior ícone da fotografia da Região dos Lagos abandonada!
*Foto tirada ainda antes de ir ao chão no início deste século!
-Foto de Fábio Pereira.

*Um povo sem memória é um povo sem história!
-Foto de Mariana de Barcellos Ricci.

*Uma casa tombada e tombada ao chão!
-Foto de Mariana de Barcellos Ricci.



*Wolney Teixeira de Souza o maior fotógrafo 
da Região dos Lagos do Século XX 
é irmão do acadêmico 
e imortal da  Academia Cabista de Letras, 
Artes e Ciências de Arraial do Cabo/RJ,
Sotero Teixeira de Souza.

O EU LÍRICO DA FOTOGRAFIA POR CAMILA FARIA


*Foto tirada em Armação dos Búzios/RJ 
por Camila Faria no dia 17/03/11.

*Câmera usada: 
-Sony Cyber-shot digital 5.1 mega pixels.

terça-feira, abril 05, 2011

HIPÓCRITAS - PONTO DE EQUILÍBRIO!



*UM VÍDEO EM HOMENAGEM AOS QUE TENTAM DESTRUIR 
A CULTURA DA REGIÃO 
POR INVEJA E INCAPACIDADE!
AFINAL SÃO HIPÓCRITAS!