sábado, junho 30, 2012

DESTAQUE POESIARTE DE JUNHO


A poesiarte apresenta: Lucio Leonardo Ferreira (L. Brown) é poeta destaque do mês de junho da COMUNIDADE POESIARTE.

-Nome: Lucio Leonardo Ferreira.
-Nome artístico: L. Brown.
-Natural de Arraial do Cabo/RJ.
-Nascido em 14 de agosto de 1980. 



-Vejamos um poema de sua autoria:


*Tela de Sergio Martinez Cifuentes.


EM SEUS CABELOS

Deixado o ar livre
Sua presença relaxa
Reflete tons cintilantes
Nas águas quentes da lagoa
Cachos de uma cabeleira
Em dias de sol, em dias à toa
Solto no mar da gentileza
Vidas crescentes,
Deixadas as sementes
Semelhantes no amor
Flauta doce você traz 
Na oração deu a paz
Endêmico tanto quanto o cactus e o pássaro
Livre em seus olhos 
Indo em direção ao monte
Passo a passo, lugar a lugar
Vida livre, cabelos soltos ao vento.

(L. Brown)

terça-feira, junho 26, 2012

A ÉTICA DO PÃO POR RODRIGO POETA




A ÉTICA DO PÃO


    Uns se intitulam a nata do leite cultural e outros são alternativos em vender a alma politicamente na Costa do Sol. No dossiê do pão doce, o Rei de Copas diz que está cansado, o homem da farinha alternativa diz que está cansado, o bobo da corte agora amigo do Rei de Copas está sem rumo...
    No dossiê do pão doce sem açúcar, o infiltrado também conhecido como o dodói, diz que quer comer do pão da ética e fala para todos também comerem o pão da ética.
     O problema é que o alternativo cansado já falou que não tem mais farinha, que o padeiro não faz mais o pão doce há décadas, pois a ética do pão morreu desde que começaram a implantar feudos culturais na região.
     O radical diz que tem a fórmula para fazer o pão, mas esquece que não há mais farinha...
      Tudo isso ocorre devido à intolerância, vaidade e claro falsidade, pois se dizer cansado e santo, se dizer cansado e salvador da pátria, se dizer radical e ir para guerra...Realmente não dá para acreditar em palavras plantadas num trigo podre e burro, que tem a audácia de dizer que quem planta o bem plantará o bem e o contrário só discórdia...Engraçado ver isso tudo dentro de um fóssil de pão em seu miolo, que contém um alternativo, um radical, um Rei de Copas, um bobo, um padeiro e um faroleiro a enxergar tudo isso.
      Quero pão! Também quero sonho! Quero luz e sal!
      O que adianta um ter a fórmula e não ter a coragem, o que adianta um ter a farinha, mas vende ela a troco de migalhas, o que adianta o Rei de Copas insistir nesta guerra em vão. O faroleiro do Arraial sonhou com a união de todos os falsos reis de feudos culturais junto com os radicais, os alternativos e com os guias da luz do Farol para sim produzirem o pão doce novamente. Realmente só é um sonho ver todos juntos.
       A Ética do Pão nunca existiu, pois o que falta para todos na verdade é coração e simplicidade nas palavras vindas do Farol.
       O Farol é o nosso guia, é a nossa fé de um dia ver tudo em perfeita harmonia.
       A dualidade existe e é inata, mas quem sabe a nata vire rosquinha e o farelo uma fórmula alternativa de uma paz, mesmo que seja provisória dentro de uma Ética do Pão.
       Vou indo, pois o carro do pão está passando na minha rua!
        - Está passando em sua porta o carro do pão! Pão doce, pão de pizza, bolos, tortas e muito mais...Está passando em sua porta (palavras vindas do coração) o carro do pão (vida)!

Presidente Rodrigo Octavio Pereira de Andrade
Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo/RJ.

quarta-feira, junho 20, 2012

REGULAMENTO DA ANTOLOGIA FAROL LITERÁRIO DA ACLAC





Regulamento Antologia:  
Farol Literário
Academia Cabista de Letras Artes e Ciências
Regulamento

Prazo para envio dos textos: 31  de julho 2012
Tema: Livre
DA PARTICIPAÇÃO
1.1. A antologia "Farol Literário ” é promovida pela ACLAC- Academia Cabista de Letras Ciências e Artes
1.2. Poderão participar da antologia todas as pessoas físicas maiores de 18 anos, ou menores com permissão do responsável, residentes legais no Brasil, bem como brasileiros residentes no exterior. Também poderão participar da Antologia escritores de outras nacionalidades, desde que a língua mantida seja a língua portuguesa.
1.3. Das características da antologia: A Antologia , receberá única e exclusivamente contos, poesias, trovas, haikais, sonetos e crônicas, sendo que a criatividade e imaginação do escritor darão o toque e estilo ao trabalho.
A mesma será dividida em 4 partes e os autores colocados em ordem alfabética:
Membros Acadêmicos Associativos
Membros Acadêmicos Correspondentes
Poetas e escritores amigos e apoiadores da instituição (Independente de serem ligados a mesma ou a outras entidades de qualquer lugar do país e do mundo)

1.4. Poderão participar da antologia autores com menos de vinte e um anos,mediante autorização por escrito de um responsável legal, acompanhada de fotocópia do original de documento de identidade do mesmo para conferência e registro de inscrição.
1.5. A participação se dará no sistema de cotas, sendo que cada autor deverá proceder ao pagamento da seguinte forma:
O Valor de participação será de R$ 200,00  (duzentos reais), que deverá ser paga em cota única  , este valor abrange 2 poesias de até 400 caracteres ou 1 conto ou crônica de até  6 mil caracteres por cota) sendo depositado até o dia  15  DE agosto de  2012.
(Caso receba notificação que seu texto foi aprovado)
1.6 Os participantes receberão um total de  12  exemplares da Antologia por participação.

Título; Farol Literário
Formato: 230 X 160 mm (fechado)
Paper: OFF SET

1.7. A presente antologia será confeccionada pela  Editora Literarte, será registrada , receberá ISBN , mas cada autor é responsável por registrar suas obras, a antologia  tem como finalidade estimular a produção de contos, formação e divulgação de novos autores.

2)DA ACEITAÇÃO DOS CONTOS, CRÔNICAS E POESIAS
 2.1. Serão aceitos apenas contos , crônicas e poesias em língua portuguesa, de temática pertinente a antologia, com limite de cinco  mil caracteres  por texto com espaços, em formato A4, espaços de 1,5 entre linhas, fontes times ou arial tamanho 12, acompanhados dos dados de inscrição que constam no parágrafo 5.5 desse regulamento.
2.2. Não serão aceitos lendas e nem contos que pertençam ao universo de personagens já existentes criados por outro autor.
2.3. Os contos devidamente formatados deverão ser enviados para o e-mail:
Assunto: Livro da ACLAC  ,   junto com os dados de inscrição e demais documentos de autorização.
2.4. Os contos inscritos deverão contemplar, obrigatoriamente, os seguintes elementos:

(a) narrativa em primeira pessoa ou terceira pessoa;

(b) O tratamento dado ao tema será de exclusividade de cada autor.
(c) Não ultrapassar o limite de 6000 caracteres com espaços, mais uma biografia de 10 linhas.
2.5. Caso o autor deseje que seu conto tenha mais do que o espaço reservado de 6000 caracteres ele terá a opção de adquirir o valor de duas cotas, assim podendo ampliar seu espaço na antologia. Os procedimentos são os mesmo citados no item 1.5 desse regulamento, caso haja espaço na antologia liberaremos alguns autores que excedam sem custo extra.

3) NÃO SERÃO ACEITOS CONTOS, CRÔNICAS OU POESIAS QUE:

(a) possam causar danos a terceiros, seja através de difamação, injúria ou calúnia, danos materiais e/ou danos morais;

(b) ofendam a liberdade de crença e as religiões;

(c) contenham dados ou informações racistas ou discriminatórias;

(d) tenham a intenção de divulgar produtos ou serviços alheios aos objetivos da antologia ou que tenham qualquer finalidade comercial;

(e) façam propaganda eleitoral ou divulguem opinião favorável ou contrária a partidos ou candidatos;

(f) tenham sido produzidos por terceiros;
(g) que não venham formatados nas normas estabelecidas por esse regulamento e descritas no item 2.1.

4) DOS CONTOS, CRÔNICAS E POESIAS INSCRITOS:
4.1. Os contos inscritos serão analisados e selecionados mediante avaliação do profissional nomeado pela organização da Antologia, cujas decisões serão soberanas e irrecorríveis. A avaliação se dará com base nos seguintes critérios:
(a) criatividade e originalidade do enredo;
(b) adequação do enredo ao universo ficcional do livro
(c) impacto do conto e qualidade dos recursos narrativos utilizados.

4.2. Ao se inscrever na Antologia o autor autoriza automaticamente a veiculação de seu conto, sem ônus para a Editora  nos meios de comunicação existentes ou que possam existir com a intenção de divulgar a antologia.

5) SOBRE AS INSCRIÇÕES:
5.1. As inscrições para a Antologia  serão abertas às 24h00min do   dia  20 de  junho  de 2012 e encerradas no dia 20 de  julho  de 2012, podendo ser encerradas antes, caso o número de contos recebidos e avaliados sejam aprovados antes da data, no formato e padrão já descritos. As inscrições só poderão ser feitas pelos e-mails acima citados ou pelo site.
O LIVRO SERÁ LANÇADO NO MÊS DE OUTUBRO  DE 2012  EM CABO FRIO E EM OUTROS LUGARES QUE SERÃO COMUNICADOS MAIS PRÓXIMOS AO LANÇAMENTO.
OS NOMES DOS SELECIONADOS SERÃO DIVULGADOS ATÉ O DIA  30 JULHO  POR EMAIL.

5.2 . Um determinado conto poderá ter mais de um autor, num número limite de dois. Um determinado autor poderá participar da antologia com mais de um conto, desde que observado o parágrafo 1.5 e 2.5 desse regulamento.

5.3. Para participar os candidatos deverão, além de enviar um ou mais textos de acordo com as regras estabelecidas neste regulamento, fornecer as informações a seguir:
(a) nome completo do autor do conto e de seu responsável legal(se for menor de idade);
(b) data de nascimento;
(c) número do documento de identidade pessoal e do responsável legal(se for menor de idade);
(d) endereço físico e eletrônico, completo e legível;
(e) telefone fixo e celular;
(f) informação de onde e como ficou sabendo da antologia;
(g) autorização por escrito assinada pelo responsável (se for menor de idade) e fotocópia legível do documento de identidade do mesmo (cópia escaneada e enviada junto com o e-mail);
(h) mini biografia de no máximo três linhas para cada autor. No caso de contos com dois autores o espaço deverá ser dividido entre ambos.
Uma foto
(i) frete de entrega dos livros será por conta do autor.

5.5. Só serão aceitas inscrições através dos procedimentos previstos neste regulamento. Os dados fornecidos pelos participantes, no momento das inscrições, deverão estar corretos, claros e precisos. É de total responsabilidade dos participantes a veracidade dos dados fornecidos à organização da Antologia .

5.6. Em caso de fraude comprovada, o conto será excluído automaticamente da antologia.
5.7. Os participantes concordam em autorizar, pelo tempo que durar a antologia com a editora, que a organização  faça  uso do seu conto, suas imagens, som da voz e nomes em mídias impressas ou eletrônicas para divulgação da Antologia, sem nenhum ônus para os organizadores, e para benefício da maior visibilidade da obra e seu alcance junto ao leitor.

6) OUTRAS INFORMAÇÕES

6.1. Dúvidas relacionadas a esta antologia e seu regulamento poderão ser enviados para o e-mail poesiarte@hotmail.com
Ou pelo telefone 22-2645-2368
6.2. Todas as dúvidas e casos omissos neste regulamento serão analisados por uma comissão composta pela equipe organizadora e sua decisão será irrecorrível.

6.3. Para todos os efeitos legais, os participantes do presente Antologia, declaram ser os legítimos autores dos contos inscritos e garantem o ineditismo dos mesmos, isentando a editora pessoa física  de qualquer reclamação ou demanda que porventura venha a ser apresentada em juízo ou fora dele.
6.4. A literarte, reserva-se o direito de alterar qualquer item desta Antologia, bem como interrompê-la, se necessário for, fazendo a comunicação expressa para os participantes.

6.5. A participação nesta Antologia implica na aceitação total e irrestrita de todos os itens deste regulamento.





APOIO:

UMA MÚSICA PARA REFLETIR!

DA SÉRIE A LITERATURA NÃO PARA!

domingo, junho 03, 2012

FRASES E PENSAMENTOS!

Leonardo da Vinci
(1452 - 1519)


"Muitos fizeram comércio de ilusões e falsos milagres,
enganando os ignorantes."

(Leonardo da Vinci - pintor italiano)

sexta-feira, junho 01, 2012

DESTAQUE POESIARTE DE MAIO


A poesiarte apresenta: Jorge Manuel Brites Pereira, poeta destaque do mês de maio da COMUNIDADE POESIARTE.

*Jorge Manuel Brites Pereira.
- Nascido em 01 de agosto de 1958.
- Natural de Sines - Portugal.


-Vejamos um poema de sua autoria:

IMPROVISO À AMIZADE

A vida para ser vivida
Tem que ter muita alegria
Com um sorriso é servida
No nascer de cada dia

O amor não pode ser comprado
E a amizade não tem preço
Um e outro vivem lado a lado
São o melhor par que conheço

Quem ama com força e vontade
Uma coisa não deve esquecer
Não pode amar sem amizade
Com o risco de o amor arder

A amizade sem confiança
É uma flor sem perfume
É uma união sem segurança
É um fogo que não tem lume

(JORGE BRITES)