quarta-feira, dezembro 28, 2011

DESTAQUE POESIARTE DE DEZEMBRO



A poesiarte apresenta: poeta Antônio Francisco Cândido destaque da COMUNIDADE POESIARTE do mês de dezembro.

*Nome: Antônio Francisco Cândido.
*Data de nascimento: 23/07/68.
*Cidade de origem: Pouso Alegre/MG.
*Cidade que representa: Congonhal/MG.
*Atividades: Funcionário Púbico Municipal pela Prefeitura de Pouso Alegre. Trabalha no Teatro Municipal da mesma, como auxiliar de serviços. Poeta e acadêmico.
*Entidade a que pertence:  Membro Correspondente da ACADEMIA CABISTA DE LETRAS, ARTES E CIÊNCIAS DE ARRAIAL DO CABO/RJ)

-Vejamos uma poesia de sua autoria:


CONTRADIÇÕES HUMANAS*

Os homens falam e pregam a paz,
Porém, preparam-se para a guerra!
Pesquisam longínquos planetas.
Sobre as miserabilidades da terra...
A tecnologia triplicou a produção de alimentos,
Todavia, muitas mesas continuam vazias!
A medicina avançou sobremaneira,
Mas não liberta as drogas que acorrentam o mundo.
Muitos inocentes estão presos,
Superlotando suas casas e as celas das prisões.
Pessoas honestas, bondosas e corretas,
Inseridas com as mentiras, falcatruas e ilusões.
As pessoas lotam as igrejas...
Distantes do próximo e dos necessitados!
Os homens realizam conferências ambientais,
Enquanto agridem e destroem a natureza.
Alheios se perdem no apenas: falta respeito
Contradições só originam dentro do peito!

(Antônio Francisco Cândido)
*Poesia classificada no XVI Concurso Internacional de Poesias, Contos e Crônicas - Cruz Alta - RS – Novembro de 2011.

domingo, dezembro 18, 2011

UMA CHARGE PARA REFLETIRMOS!

PALAVRAS DE UM TROVADOR



Hino da cidade de São Pedro da Aldeia/RJ

“Cidade do Amor”

São Pedro da Aldeia
Deixa eu cantar com amor
Na Pátria amada és batizada
Como Cidade do Amor.

São Pedro da Aldeia
Tu tens beleza sem par
Se um filho teu ausente está
Tem saudades de ti, quer voltar.

As tuas praias, os teus sertões,
A placidez do teu mar,
Teu sol ardente, noite de lua,
Noites que fazem lembrar.

O forasteiro vem de tão longe
Ao teu padroeiro adorar
Filhos ilustres, poetas imortais...
Eu de ti não me esqueço jamais.

(Letra e música do aldeense poeta Victorino Carriço)

sábado, dezembro 03, 2011

JOAQUIM MONCKS: O MESTRE DOS PAMPAS DO SUL!

*Arte de Fátima Queiroz.


POESIA E POEMA NÃO SÃO SINÔNIMOS

Joaquim Moncks

POESIA é a celebração da palavra num andamento diferenciado do que utilizamos para a comunicação no dia-a-dia. Música que surge através do jogo de vocábulos numa encantada linguagem. Poesia é essa pronunciação rítmica que as palavras produzem. Poetizar é a vivificação da beleza linguística, a utilização da palavra em sua indumentária de festa e não a da lida quotidiana. Por esta razão, a constatação da Poesia não é uma situação comum, permanente. O pretenso criador há que estar possuído de uma inquietação incomum: haver entrado em “estado de poeticidade”.

POESIA, enfim, é a voz do ‘sentir’, aquilo que vem do âmago do ser, que é imaterial. É dessa maneira que a criatura humana libera os anseios e inquietações que povoam os esconderijos da sensibilidade. Quase sempre é o replicar da memória buscando augúrios de felicidade para enfrentar o momento hostil – difícil – em busca de um momentâneo estado de sublimação, resignação e/ou expectativa de que sobrevenha a alegria e o prazeroso estado espiritual compensatório do viver pessoalizado.

Para se chegar à POESIA, necessário se torna que tenhamos, no texto, alguns efeitos de estilo aos quais se chega através da presença das figuras de linguagem ou tropos – emprego de palavra ou expressão em sentido figurado – que levem à utilização dos vocábulos em sentido CONOTATIVO: “idéias e associações ligadas, pela experiência individual ou coletiva, a uma palavra”, segundo o Aurélio. O sentido figurado empresta ao pensamento energia, vivacidade, elementos de movimento. Pode conferir à frase beleza ou graça, ainda segundo a mesma respeitada fonte.

Na experiência diária – nas diversas situações da vida de relação – os vocábulos são utilizados no sentido DENOTATIVO, característico da linguagem usual, quotidiana. Nada de utilização, portanto, do sentido figurado. Muito pouco ou nada de Poesia.

O POEMA é a inquietação traduzida em vocábulos poéticos. Linguagem única para um momento único: a vida, em Poesia, surge do nada e canta a sua peculiar linguagem. É o homem pedindo socorro para o presente e hasteando o estandarte do Futuro.

O POEMA, mesmo tendo como assunto ou conteúdo situações do presente, sempre remeterá ao futuro. Isso ocorre logo após a confecção do poema e sua chegada ao mundo dos fatos, da realidade. Pelo corpo textual vindo a lume, há um novo mundo, um novo estado, uma nova coisa a ser mostrada para quem tem capacidade para traduzir o Novo: o mundo em reconstrução. Tanto pessoal quanto coletivo.

A POESIA se corporifica, materializa-se na voz do POEMA. Um é o continente, o outro o conteúdo, aquilo que se contém nalguma coisa. Poesia se identifica com Poeticidade. Também designa o gênero literário, com suas variadas espécies: haicai, acróstico, soneto, quadra, trova literária, etc., e, na contemporaneidade formal, o POEMA, composto de versos brancos, livres, sem rimas.

Portanto, a POESIA é imaterialidade e gênero literário. Já o POEMA é a materialidade concreta desse estado de poeticidade, composto por versos, expresso através de vocábulos. Palavra enfeitada pra dizer do sentir e do sonho. Tudo pra tornar o mundo mais bonito, mais palatável. Digno de ser vivido.













*Joaquim Moncks - poeta gaúcho, ativista cultural, acadêmico de várias entidades no Brasil e grande estudioso da arte poética.
– Do livro TIDOS & HAVIDOS, 2011.
http://www.recantodasletras.com.br/teorialiteraria/3153535

UMA CHARGE DE ZEL PARA REFLETIRMOS!

DA SÉRIE A LITERATURA NÃO PARA!

DESTAQUE POESIARTE DE NOVEMBRO


A poesiarte apresenta: poetisa Lucelia Gomes destaque da COMUNIDADE POESIARTE do mês de novembro.

*Nome: Lucelia Gomes.
*Natural de Recife/PE.
*Cidade que representa: Paulista/PE.
*Nascida em 20 de outubro de 1961.
*Atividades: Poetisa e escritora.

-Vejamos uma poesia de sua autoria:




terça-feira, novembro 29, 2011

PRÊMIO TEIXEIRA E SOUSA TEM RODRIGO POETA COMO JURADO!


*O poeta cabo-friense Rodrigo Octavio Pereira de Andrade (Rodrigo Poeta), Presidente da Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo/RJ, Membro Honorário da Academia Cabo-frisense de Letras de Cabo Frio/RJ e de mais de 12 entidades. Premiado em diversos estados e tendo textos publicados em várias cidades do Brasil é o jurado da categoria POESIA em 2011 do Prêmio Teixeira e Sousa da cidade de Cabo Frio/RJ.

*Vejamos a matéria na íntegra por Viviane Rocha:

Premiação do Concurso Literário Teixeira e Souza 
será nesta quinta-feira, dia 1° de dezembro, no Charitas


Nesta quinta-feira, dia 1° de dezembro, às 20h, no Charitas, será realizada a premiação do Concurso Literário Teixeira e Souza, promovido e organizado pela Secretaria de Cultura de Cabo Frio.

São quatro as categorias do Prêmio: Conto (nível nacional), Crônica, Poesia e Redação (nível regional – de Saquarema a Rio das Ostras). Ao todo, foram inscritos 43 contos, 13 crônicas, nove redações e 22 poesias.

As categorias serão premiadas de acordo com nomes da literatura cabo-friense, cujos homenageados são escolhidos a cada ano pela Secretaria de Cultura. Este ano, os prêmios serão:

Conto – Prêmio Célio Mendes Guimarães (nacional)
Crônica – Prêmio Hilton Massa (regional)
Poesia – Prêmio José Casimiro (regional)
Redação – Prêmio Pedro Guedes Alcoforado (regional)

Valores para as quatro categorias: 1° lugar – R$ 1.000,00
2° lugar – R$ 500,00
3° lugar – R$ 250,00

Os trabalhos foram selecionados por uma comissão julgadora com 12 membros da área literária, sendo três julgadores para cada categoria. A seleção foi realizada com base nos critérios de estilo e conteúdo ficcional. A Comissão Julgadora é formada pelos seguintes profissionais:

Poesia:

- Eraldo Ravasco Moreira Maia;
- Eliane Ribeiro;












- Rodrigo Octávio P. de Andrade.

Crônica:

- Milton Alencar Junior;
- Martha Sirimarco;
- Silvia Maria Ribeiro.

                                                                            
Conto:

- Fernanda Barbosa;
- Ione Moura Moreira;
- Tereza Ramalho.

Redação:

- Margareth Silva Rodrigues Alves;
- Solimar Gonçalves Oliveira;
- Márcia Arruda Moraes Navarro.


Os ganhadores do concurso que estiverem fora do município de Cabo Frio e, desta forma, impossibilitados de participar da solenidade de premiação serão contactados pelos organizadores do concurso para receberem o prêmio a que têm direito.




*Link da matéria:
http://www.cabofrio.rj.gov.br/detalhenoticia.aspx?id=eed9dfa9-06fc-4952-9d69-c04763b22ed0

sábado, novembro 26, 2011

UMA CHARGE DE ZEL PARA REFLETIRMOS!


VIº CONCURSO POESIARTE DE POESIA


VIº CONCURSO POESIARTE DE POESIA



REGULAMENTO

1-Participantes:
Poderão participar do concurso moradores do município de Cabo Frio e demais municípios do Brasil, com idade a partir de 8 anos e também aceitando participações internacionais, sendo que o poemas sejam escritos em língua portuguesa.

2. Período de inscrição:
Os trabalhos deverão ser entregues para:
Rodrigo Octavio Pereira de Andrade, no seguinte endereço: Rua Jorge Lóssio, n°1478, Vila Nova – Cabo Frio/RJ.– CEP 28907-015, as inscrições serão aceitas de 21 de novembro  de 2011 a  7 de janeiro de 2012 ou enviadas por Correio até a mesma data, valendo o carimbo postal como comprovante do prazo ou para os seguinte  e-mail: poesiarte@hotmail.com .

3. Modalidade:
3.1- Poesia – 1 (uma) por concorrente, com o máximo de 3 (três) laudas (folhas).

4. Tema: LIVRE.

5. Textos:
5.1. Deverão ser escritos em língua portuguesa, digitados em papel branco A4, de um só lado da folha em fonte Arial ou Times New Roman, tamanho 12, espaço 1,5, em 5 (cinco) vias(cópias);
5.2. Não serão aceitos trabalhos manuscritos. (ver item 3.1)
5.3. Os trabalhos deverão ser inéditos, isto é, ainda não publicados em nenhum meio de comunicação ou em livro e principalmente por sites ou blogs na internet.
5.4. Os textos deverão conter exclusivamente o título da obra e o pseudônimo do autor.
5.4.1. Os pseudônimos não deverão guardar qualquer semelhança com o nome, apelido ou outro fator de identificação do concorrente.

6. Apresentação dos trabalhos – Envelope e Via Email.
6.1. Os trabalhos deverão ser enviados dentro de um envelope endereçado da seguinte maneira:
VI° CONCURSO POESIARTE DE POESIA
Rodrigo Octavio Pereira de Andrade
Rua Jorge Lóssio, n°1478, Vila Nova – Cabo Frio-RJ.
CEP 28907-015.
No remetente deverá vir escrito o nome do autor e o endereço.
6.1.1. O pseudônimo não poderá vir escrito no exterior do envelope.
6.2. Todas as folhas dos trabalhos deverão conter apenas o pseudônimo no rodapé, sem assinatura ou qualquer tipo de identificação.
6.3. A ficha de inscrição devidamente preenchida e assinada deverá vir dentro do envelope.
Modelo de ficha de inscrição:
Nome completo:
Cidade de origem:
Data de nascimento:
Cidade que representa:
Atividade: (Profissão).
Título do poema:
Pseudônimo:
Site ou blog:
Email:
Uma foto, pois um dos premiados terá uma caricatura feita pelo Zel Humor. Se for via email, envie a foto digitalizada.
6.4. Não haverá devolução dos trabalhos recebidos.
6.5. Os trabalhos que não obedecerem às regras estipuladas serão automaticamente desclassificados.
6.6. Os poemas enviados por via email deverão estar em documento Word, seguindo as especificações do item 5.1.

7. Julgamento:
7.1. O corpo de jurados será formado por profissionais da área, altamente qualificados e designados pela Comissão Organizadora do Concurso, que serão conhecidos e apresentados brevemente nos seguintes blogs:
7.2. As decisões do júri são soberanas e irrecorríveis.

7.3. Serão ainda critérios para julgamento:

7.3.1. Demonstrar conhecimento da linguagem. Seguindo os seguintes itens: conotação (figuras de linguagem), intertextualidade, ritmo, vocabulário e criatividade.
7.3.2. Manter o texto dentro das dimensões propostas no Regulamento.
7.3.3. Não serão aceitos temas pornográficos, preconceitos de cor, raça, religião e etc. Desta forma, a poesia será imediatamente vetada.
7.4. A comissão organizadora decidirá sobre as omissões deste Regulamento, depois de ouvida a opinião do júri.

8. Divulgação dos resultados:
A divulgação dos poemas inscritos com os seus pseudônimos será feitas através do blog do concurso, que também divulgarão o resultado final do mesmo nos seguintes links:
  

9. Premiação:
9.1. O primeiro colocado receberá um certificado de participação, o livro POETAS DEL MUNDO EM POESIAS  (volume 1),  medalha de ouro e uma caricatura do Mestre Zel Humor .
9.2. O segundo colocado receberá um certificado de participação, o livro O SOL DA PALAVRA da poetisa CELI LUZ e  medalha de prata .
9.3. O terceiro receberá um certificado de participação, o livro  AUTO DA COMPADECIDA de Ariano Suassuna e medalha de bronze.
Obs.: Caso no decorrer do concurso a comissão organizadora possa adquirir patrocínios os prêmios serão mais pomposos com a realidade do concurso.
9.4. O júri poderá indicar ainda duas menções honrosas, que receberão certificados.
9.5. Em nenhum dos níveis de premiação será permitido o empate.

10. Disposições Gerais:
10.1 O PROJETO POESIARTE  se reserva no direito de publicar poemas, vencedores ou não, em livros, ficando explícito que o ato de inscrição através da ficha implica em autorização para publicação.


Cabo Frio, 20 de novembro de 2011.



Rodrigo Octavio Pereira de Andrade (Rodrigo Poeta)
Coordenador do Concurso POESIARTE.

quinta-feira, novembro 24, 2011

A POESIARTE EM FOCO DE RODRIGO POETA


*Arte de Fátima Queiroz.



Versos

A chuva encharca
O poeta...
Ele fica sem ar,
Sem voz...

A chuva não para de cair...
A bronquite ataca os pulmões como uma antagonista
De muito tempo...

O coração bate acelerado
Entre os pulmões cansados
Aos olhos de um tempo louco,
Que adoece a mente e os versos.

Poças ficam a marcar território
Com as lágrimas de Deus
A cair do céu...

Loucura ou insensatez
Das mãos do poeta,
Que viajam com murmurar da chuva
E o assobiar dos pulmões
Numa alvorada cinzenta
De quinta-feira de pernas tristes...

(Rodrigo Poeta - 23/11/11)

















*Rodrigo Poeta é escritor da cidade de Cabo Frio/RJ e Presidente da Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo/RJ.

domingo, novembro 13, 2011

PALAVRAS DE UM TROVADOR



*Em homenagem aos 396 anos da cidade de Cabo Frio/RJ, vejamos o hino da cidade feito pelo mestre Carriço:


Cabo Frio, minha terra amada,
Tu és dotada de belezas mil,
Escondida vives num recanto,
Sob o manto deste meu Brasil...

Noites claras teu luar famoso,
Este luar que viu meus ancestrais...
O teu povo se orgulha tanto,
E de ti, não esquecerá jamais...

Tuas praias, teu forte,
Olho ao longe e vejo o mar bravio
A esquerda um pescador afoito,
Na lagoa que parece um rio...

O teu sol, que beleza!
No teu céu estrelas brilham mais...
Forasteiro, não há forasteiro,
Pois nesta terra todos são iguais...


- Vejam também um vídeo onde o hino é cantado pelo Coral Cantavento de Cabo Frio/RJ:

segunda-feira, novembro 07, 2011

MAIS UM ARTISTA NO CÉU!

TORRES DO CABO
(1931 - 2011)

*Morreu hoje um dos maiores ícones das artes plásticas da Região dos Lagos, o artista plástico e poeta Eduardo Garcia Torres, conhecido popularmente como Torres do Cabo. Pintou milhares de telas e muito painéis na Região. Retratando as belezas naturais de cidades como Cabo Frio/RJ e Arraial do Cabo/RJ como muitas outras também. Torres do Cabo foi membro da Academia de Artes de Cabo Frio/RJ e Membro da Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo/RJ com cadeira 14. Recebeu muitas homenagens em vida. Uma delas foi o Prêmio Personalidade 2010 da ARTPOP. Faleceu nesta manhã do dia 07 de novembro de 2011, devido ao câncer de próstata que já o perseguia há anos no Hospital Santa Izabel em Cabo Frio/RJ.  O grande artista Torres do Cabo é mais um artista a figurar no céu! 

*Torres do Cabo recitando o poema "O Bom Lusitano" 
em evento da Academia de Artes de Cabo Frio/RJ em 2009.


- Segue um trecho do poema Bom Lusitano de sua autoria:

"Eu nasci no São Bento.
Na terra dos fortes ventos
Do peixe e do camarão
Do namorico na praça
Do camboim com cachaça
Nas noites de procissão."


*Rodrigo Poeta na Praça da Amizade em 1985. 


A Praça da Amizade fica  no Centro de Cabo Frio/RJ  entre à Avenida João Pessoa e a Rua Raul Veiga.
*Foto tirada  pelo meu pai Jacy Correa de Andrade.

*Painel pintado na parede  foi feito pelo grande artista plástico Torres do Cabo. O painel retrata a história da minha cidade que é Cabo Frio/RJ.
No painel temos: a Ponte Feliciano Sodré, o Anjo Caído, o Forte São Mateus, a Capela de Nossa Senhora da  Guia no Morro da Guia; as  riquezas da cidade como: a refinaria de sal da Álcalis (na época), o pescado e o turismo. No painel temos também a paixão cabo-friense pelo futebol!
*Uma arte em poesia pintada por Torres do Cabo.



 *Rodrigo Poeta e Torres do Cabo em 2009
no evento da Academia de Artes de Cabo Frio/RJ.


*Deixo uns versos aqui também de uma poesia que já publiquei neste blog em homenagem ao um dos maiores artistas cabo-frienses:



Praça da Amizade

Brincadeiras do passado,
Lembranças de uma bela infância.
Ai que saudade!

Na praça um painel...
Uma poesia pintada pelo pincel.
Ai que saudade!

Saudade do tempo bom...
De soltar pipa, jogar bola,
Brincar com avião de papel.

Ver as peraltices e anedotas,
Que sempre envolviam o zelador 
Carlito do edifício...

Hoje essas lembranças são brumas
A voar entre a brisa e o mar.

Ai que saudade!
Saudade de ser criança...
Não se preocupar com nada
E com o amanhã!

No painel a história de uma cidade!
A história pintada pelo pincel
De Torres do Cabo,
Que um dia conheci entre versos de papel.

Ai que saudade!
Ficam as lembranças, as fotos,
Se vai o painel,
Mas fica a poesia 
Para eternidade no papel.

(Rodrigo Poeta - 10/05/11)

*Fotos do acervo de Rodrigo Poeta.

terça-feira, novembro 01, 2011

DESTAQUE POESIARTE DE OUTUBRO

*Mestre Ferreira Gullar e Teresa Cristina Nogueira.

A poesiarte apresenta: Teresa Cristina Nogueira poetisa  destaque da COMUNIDADE POESIARTE do mês de outubro.

*Nome: Teresa Cristina Nogueira.
*Natural de Itaperuna/RJ.
*Nome artístico: Tete Nogueira.
*Cidade que representa: Cabo Frio/RJ.
*Nascida em 22 de novembro de 1961.
*Atividades: Professora e poetisa.

-Vejamos uma poesia de sua autoria:


*Na foto Andreia Fernandes grande ativista cultural.
Este poema é sua face!

Saia de chita

Saia de chita
blusa rendada
sandália de prata
menina bonita!

Tarde de sol
cabelos ao vento
saia de chita
menina bonita!

Campos em flor
cestas e pães
saia de chita
menina bonita!

Flor no cabelo
sandália de prata
menina faceira
menina bonita!

Lá vem,ela brejeira
sorriso nos lábios
laços de fita
saia de chita
menina bonita!

E assim segue a vida
sandália de prata
saia de chita
laço de fita
blusa rendada
menina bonita!

(Tete Nogueira)

domingo, outubro 30, 2011

POESIA NA ESCOLA! - PARTE 03

*Arte de Fátima Queiroz.



Envolvimento

A vida é uma coisa
que não me sai do pensamento
nela eu tento
expor todo o meu sentimento.

Tenho que ter amor
pois sem envolvimento
a vida é só lamento...

A vida é cheia de amor
e nada de horror
e nada de tristeza
e nada de ignorância.

Quero apenas
Paz, amor e confiança!

Pois vivo como uma criança
que só quer  brincar
só quer cantar
só quer ser feliz
e amar.

Às vezes ouvimos coisas
que não deveríamos ouvir
falamos coisas
que não deveríamos falar
fazemos coisas
que não deveríamos fazer
 Mas isso é viver!!! 

(Alunos: Alenny e Jonathan)


Preste atenção!

O planeta é importante
Devemos preservar
A água não devemos desperdiçar
O solo não poluir
Para os nossos futuros filhos
Viverem aqui.

Fertilizantes não devemos usar
Porque o solo pode se contaminar
Os esgotos todos encanados
Para a água e o solo
Ficarem preservados.

 O mundo em que vivemos
 Tem muita confusão
 Animais sendo caçados
 E acabam em extinção
 Cadê a preservação?

 O mundo tem muita maldade
 Está difícil de viver
 Se continuar nesse ritmo
 O que mais pode acontecer?

 (Alunos: Davi e Adriano)



Atraso faz mal?

Na escola não podemos chegar atrasados
Porque se não vamos para a direção
E levaremos uma suspensão
Isso não é nada bom!

Ainda bem que os professores são muito legais
Acham atrasos banais
Deixam sempre os alunos entrarem
Para não se ferrarem.

Matérias de prova iríamos perder.
E sem nota, o que vamos fazer?
A nossa desculpa é que ônibus atrasou
Na hora certa ele não passou...

Mas ao final do ano
Com as notas altas
Ficamos todos felizes
E não reprovados por faltas.

(Aluno: Deilson da Silva dos Santos)

Juventude, a arte de viver

Juventude a arte de viver
Por que ter pressa para crescer?
Conhecer a vida e plena sabedoria.
Ser jovem sem medo de se arriscar
Perigo é a arte do conhecimento
Um jovem nasceu para voar.  

Então, por que criticar?
Então, por que brigar?
Então, por que não ajudar?

Jovens, o caminho da criação
O mundo sem ilusão...
Cheguei a uma conclusão:
Por que largar a juventude de mão?

Jovem, o ato da criação
Jovem, oh perfeição!
Jovem o mundo precisa de você!
Seus costumes, suas gírias, seu estilo de ser...

Por que não desfrutar?
Por que não se acostumar?
Ou até mesmo só apreciar?

Juventude, a arte que não ilude.
Por que se apressar
Se jovem nunca deixaremos de ser?
Dentro de você, a juventude vai aparecer...
Liberdade, criatividade...
Nem precisa certa idade 
Jovem, juventude, só atitude 
Juventude, a arte que não ilude...

(Alunos: Deilson e Beatriz)


Existência

Se não existisse paz
não existiria amor.
Porque paz e amor estão                                      
a favor.

Se não existisse paz                                      
não existiria amizade.                                      
Porque a amizade gera                                       
a solidariedade.

Se não existisse paz                                      
não existiria religiosidade.                                      
Porque sem Deus nada vale                            
na verdade.

(Aluna: Jéssica Faustino Rossi)


Vida, bel prazer
A vida é bela
será mesmo ela?
O que dizer sobre os momentos
em que expomos nossos sentimentos?

A vida é bela
será mesmo ela?
Desfrutar tudo com toda intensidade
sem culpa ou medo da maldade.

O que mais dizer da vida?
É um “bel prazer”
Apesar de tão doída parecer...

(Alunas:Victória San e Natália Marins)


Viva assim!
Vida de paz
Viva sendo capaz
Vida vazia?  
Não, vida eficaz!

Quem vive faz
Algo mais
Para não deixar
Que nada fique para trás.

(Alunas: Josiane e Joice Sabrina)


Tempo
                                              
Nossa vida tem tempo                                                 
tem dia e tem hora
pois ninguém sabe
quando iremos embora.

Tem tempo de chorar
tem tempo de amar
tem tempo de sorrir
tem tempo de lutar.

Tem dias de tristezas
tem dias de alegrias
tem dias de paz
tem dias de agonia.

Tem horas que eu olho para trás
e vejo o quanto sofri
a luta é grande
temos que insistir!

Desistir é para os fracos
isso não é para mim
porque a vida é uma estrada
com começo e sem fim!

(Alunas: Maria Aparecida e Joyce dos Santos)

*Poesias feitas pelo alunos do Colégio Estadual Professora Clarice Coelho Moreira Caldas de Araruama/RJ.
*Turma: 1001. *Ensino Médio.
*Professora organizadora: Matilde Nelsa S. Sá.
*Ano: 2011.
*Contribuição do poeta Lucio Sá da cidade de Araruama/RJ.