sábado, fevereiro 09, 2008

POESIARTE EM FOCO DE RODRIGO POETA


A poesiarte apresente: Rodrigo Octavio Pereira de Andrade (Rodrigo Poeta). Poeta, pesquisador, professor e ativista cultural cabo-friense.


Vejamos uma poesia de sua autoria publicada no site Crônicas Cariocas:


“Lágrimas Secas”

 

Nos versos de Patativa do Assaré,
Caminho pelo chão rachado da seca
Entre mandacarus e urubus do Sertão.
Os olhos do horizonte não enxergam
O Velho Chico,
Diante de um acorde de Luiz Gonzaga,
A relembrar as histórias de Lamarca e Lampião
Pelo Sertão.
A poesia é poeira na veia
De João Cabral de Melo Neto,
Mas incendeia nas mãos de Graciliano
E Guimarães Rosa ao som de um repente
Feito numa roda em Arcoverde.
A caatinga me fere com os seus espinhos,
Com o seu olhar de morte em desalinho.
Os retirantes fogem, clamam e pedem
Para Padre Cícero pelas bênçãos das chuvas de São Pedro
Aos olhos de um São João num foguetório dos infernos
Entre os braços de Suassuna e de João Grilo, O Amarelo,
Que representam o Sertão.
As mulheres ficam num olhar triste,
Enquanto os homens buscam alimento
E salvação em terras alheias do Sertão.
Deixam família, casa e coração,
Para um dia voltar
E verem com outro olhar o Sertão.
Os retirantes fogem da fome,
Da seca, da morte em busca da salvação!
Os sertanejos são fortes,
Mas a seca do Nordeste
É fera e os engole...
Anjinhos nascem e morrem...
...para serem sepultados num chão pobre.
As rachaduras são rios de lágrimas secas
Ao olhar dos versos de um menino a lamentar
Entre a poeira ao lado de uma carcaça de boi
Nas mãos do Sertão brasileiro.

(Rodrigo Poeta de Cabo Frio-RJ. – 15/10/07)

Link do site Crônicas Cariocas, onde estão vários poemas do autor:

http://www.cronicascariocas.com/poesias_rod_poeta.html




22 comentários:

Elidia Almeida disse...

Muito realista,gostei...um abraço!

Yve Lysy disse...

Rodrigo Poeta...

Obrigada por nos presentear com essa poesia que é um tesouro.

Pois há muito venho lendo poesias belas, cada uma mais bela que a outra... Mas, LÁGRIMAS SECAS"
entra na gente, força a entrada no cérebro e esparrama pelo coração e estranhamente, pára nos olhos embevecidos de encanto, e faz com que nos transportamos para o sertão, é lá, que tudo acontece.

Parabéns!

Bjs... Yve Lysy

Anônimo disse...

MUITO ENTERESSANTE ESSE POEMA BEM ESTRUTURADO BEM ELABORADO CONTANDO REALMENTE A REALIDADE DO NORDESTINO!!! O QUE ESSE POEMA LEMBRA É DA EPOCA DE ANTONIO CONSELHEIRO Q QUERIA LIBERTAR OS NORDESTINOS PARA O ARRAIAL DE CANUDOS ACABOU Q TDS OS Q VIVIAM NO ARRAIAL DE CANUDOS LIVRES E CONTENTES PELA PROSPERIDADE NO ARRAIAL MORRERAM!
MUITAS VEZES ENCONTRAMOS PROBLEMINHAS CRIAMOS CASO POR TÃO POUCA COISA E NEM SE QUER LEMBRAMOS Q NO MEIO DESSE BRASIL AONDE NOS VIVEMOS EXISTE UM POVO CARENTE UM POVO SOFRIDO PELAPOBREZA PELA FALTA DE CONDIÇÃO E Q A DESIGUALDADE SOCIAL SE ALASTRA PELO MEIO DO POVO!!!!!!!!!!!!!!!

Rodrigo Poeta disse...

Obrigado meus amigos Elídia, Yve e Jean pelos sinceros comentários, pois são vocês que me fazem continuar a trilhar o meu caminho no mundo dos versos.

*Rodrigo Poeta.

William Wollinger Brenuvida disse...

Ao ler tal poesia lembrei dos valorosos cidadãos ali citados, principalmente... Lamarca, Graciliano, Gonzaga, e Guimarães Rosa...

Quando li Vidas Secas e ouvi Asa Branca, na voz de Gonzaga e depois VAndré... encantei-me de fazer chorar. Ocorre o mesmo com essa magnifica poesia!

Parabéns!!!
e Saudações Fraternas...

Anônimo disse...

brou, bacana linkar pessoas de influência e o contexto do que vivemos.

abraços.

Cássio Amaral.

Luiza Caetano disse...

Rodrigo,
Sendo portuguesa, conheço todo o Brasil, inclusivé o Sertão de que você fala nesse poema seco e árido com a região do Sertão!

Fiquei pasmada com a autenticidade deste seu poema.

Parabéns!

luizmanaus disse...

"As rachaduras são rios de lágrimas secas..."
Uma poética e sensível descrição da realidade do sertão onde a figura poética de cada estrofe traduz em sentimentos uma realidade com maior vigor até do que dantes foi descrito em prosa. Parabéns.
Monjeló ...Falando de Amor

Anônimo disse...

Nossa adorei a poesi caro amigo poeta!!!

Buscou algo no fundo da veia que percorre no sangue do sertão...

Adorei a forma de expressão a realidade brasileira!!!

Anônimo disse...

Rodrigo Poeta,

lembrei-me de:

"Poeira entra em meus olhos, não fico zangado não
Pois sei que quando eu morrer meu corpo vai para o chão
Se transformar em poeira, poeira vermelha, poeira" [...]

Sérgio Reis


Essa poeira de sua poesia está percorrendo todas as veias dos maravilhosamente "enlou-crescidos" na fonte da Literatura, paradoxalmente formada de "água" que ao invés de matar a poeira, levanta um cheirinho de terra, terra do sertão, terra do Brasil, terra vermelha, do seu sangue, do sangue dos poetas.

Sinto-me grata pela poesia.

Obrigada!!!

Katia Zandomingo

Keisy disse...

Nossa!!! essa é a nossa realidade!!!. Parabéns amigo poeta... a poesia realmente é o balsamo da alma!!.
beijos

nolivia disse...

Rodrigo linda poesia,alias todos aqui estao de parabens,como disse na pagina do meu amigo,o mundo da poesia é maravilhoso,almas lindas,unem pessoas de coraçoes romanticos,coraçoes q se embalam a cd poema lido....abs poeticos

nolivia disse...

Hj conheci um pouco mais do amigo poeta Rodrigo,fiquei encantada com a beleza dos poemas...abraços poeticos

Anônimo disse...

EU ACREDITO QUE A POESIA CIRCULA NAS VEIAS DO POETA COM VOCE NÃO PODERIA SER DIFERNTE,PARECE TER SIDO EXTRAÍDA DA ALMA.

Anônimo disse...

Legal !

Anônimo disse...

caro poeta sua poesia é maravilhosa me encantei com o seu jeito de falar do nosso sertão prabéns poeta um grande abraço e sucesso.

Anônimo disse...

Lágrimas Secas do poeta Rodrigo, amigo e confrade da ARTPOP é um presente, um retrato, uma memória. Lendo a poesia viajei no deleite deste clamor social de tantas vozes, no grito da desigualdade, no verso da página esquecida uma dor real do nordestino ficante. Rodrigo obrigado,você retrata pra nós rica e poeticamente a saga das agruras do nosso povo num estilo literário
denunciante de lágrimas contidas.
Saudações.

Rodrigo Poeta disse...

Agradeço de coração aos meus amigos leitores e irmãos de poesia: William, Cássio Amaral, Luiza Caetano, Luiz Monjeló, Katia Zandomingo, Nolivia, Preta Oliveira, Alex Feitosa, Giselle Gomes e Carlos Alberto...Sem vocês não há poeta...Muito obrigado amigos... Rodrigo Poeta!

Glórinha disse...

Pérola em forma de poesia, parabéns por tão bela composição e obrigada por me proporcionar o prazer de a ler.

bjus

Anônimo disse...

Meu querido amigo diante de tantas palavras bem estruradas, de uma poesia de tão valoroso quilate,o meu vocabulário simplesmente se empobrece!
É linda demais,uma viagem pela literatura,sem sombra de dúvidas é uma belíssima poesia!
Lucia de Souza Gomes.

Dora Dimolitsas disse...

Rodrigo meu amigo
Você não só me deixou emocionada com este poema, como deixou um profundo sentimento de avaliação dos reais valores negados para o nosso povo.
A nossa áfrica bem aqui, que muita gente faz questão de não enxergar.
Abraços e parabéns meu amigo
Dora

Leninha disse...

Rodrigo...
Não poderia deixar de te dar um abraço ...e ficar feliz de ver um jovem lindamente poeta...que encanto ver isso.
Parabéns por tudo que vi de ti...e mais por homenagens prestadas a grandes seres...como Luiza Caetano...
Que belo Rodrigo...
bravo!!!

Um abraço carinhoso ...desejando a ti inspiração ...com muito amor ...carregado de luz.

Leninha.