sábado, maio 30, 2009

ARTIGO DE RODRIGO POETA



 NO MEIO DO CAMINHO TINHA UMA PEDRA


A guerra só traz mais ódio. Na Palestina uma pedra é uma arma na mão de uma criança e no meio deles o ódio é repleto entre a dor da perda e da fome de identidade no mundo. O olhar é profundo, mas triste perante a ganância a um solo que dizem ser sagrado.
Chamas mostram o poder e o olhar no meio disso tudo que se torna vazio, triste no meio do caminho.
A esperança é ódio. O orgulho é a destruição. Este é o homem feito em imagem e semelhança a Deus? Quem é essa Pedra? Quem é esse Caminho? Qual é o Meio?
As respostas estão dentro de nós ao olhar o terror que cerca tanto aqui no Brasil como no Oriente Médio e em outras partes do Mundo Capital.
O Deus é o mesmo, mas as atitudes são diferentes...
A certeza é uma só...a pedra, o caminho e o meio estão dentro de nós!
O caos não tem volta, mas enquanto uma vela permanecer acesa, esta luz ainda nos trará a bonança...
O olhar triste continua entre as chamas do Inferno criado por nós, diante dos versos imortais de Drummond: "No meio do caminho tinha uma pedra".



*Rodrigo Octavio Pereira de Andrade.
-Membro da Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo-RJ.
30/05/09

9 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns pela bela cronica que demosntra toda a realidade que vem acontecendo não só na Guerra mais no dia-a-dia do ser humano...
Todos deveriam refletir a respeito
Parabéns caro amigo!!!
Sucesso.

Alex Feitosa

Selene disse...

Caríssimo poeta você descreveu muito bem os acontecimentos sobre pessoas que vivem momentos de aflição e desespero numa guerra ou em confronto nas favelas e morros, crianças que deveriam estudar brincar e sorrir já crescem com uma pedra ou uma arma na mão e ódio no olhar, culpa muitas vezes do descaso com o próximo, discriminação e GANANCIA de alguns homens SEM CORAÇÃO. PARABENS.

Eu M&!!O disse...

Parabéns pelo blog.
Belíssimo...
Parabéns pela crônica.

Uma demonstração autentica da realidade escondida na conciência dos governantes, e todos os responsáveis pela administração, do nosso País
Mas estão muito ocupados.

Como diz o amigo anônimo...
Todos deveriam refletir a respeito
e tomar providências cabíveis.

Um Abraço.
By...M&!!O

Blog Diná e amigos poetas disse...

Parabéns Rodrigo,
Sua crônica é um canto à Paz, um texto oportuno, uma realidade que hoje é de todos...infelismente muio triste!

Que a Paz se estabeleça entre todos os povos!

Diná

Anônimo disse...

Parabéns Rodrigo, o que vc relata nessa crônica, nada mais é do que a dura realidade e injustiça que existe em nosso mundo.

um abraço.

Mey

Myrian disse...

Interessanti este seu texto, No meio do caminho tinha uma pedra.
Sempre tem uma pedra no caminho da pobreza, da ajuda , a guerra é a pedra, a falta de amor é a pedra, a ignorancia é a pedra, o descaso é a pedra, tudo o que não ajuda e a cegueira é a pedra no caminho da paz.
Amei essa cronica, parabéns!!!
Myrian

sogueira disse...

As pedras estão no caminho em todos os lugares e em todas gerações devemos colhê-las e com elas construir nosso castelo bem fortificado.
Muito propício seu texto Rodrigo. Abçs. SoniaNogueira

Anônimo disse...

Fico pensando como seria se esse menino conhecesse esse deus que seu povo defende...afinal, Deus é amor ou ideologia? (conhecendo o sentido filosófico do termo: uma falsa verdade). "Matar por amor" ou "matar em nome de Deus" são expressões que não existem, para mim. Contraditórias por suas origens religiosas, revelam o quanto o homem não conhece a Deus. Isso dá uma tese, meu caro poeta da praça...rs
Parabéns pelo blog e pela reflexão!
Daniela Barbosa.

Anônimo disse...

Belíssima intertextualidade e reflexão parabéns poeta!
Infelizmente uma triste e injusta realidade que vem assolando o mundo. E a partir dela podemos nos questionar: O que ainda o futuro nos reserva?

Um abraço,
Giselly