quinta-feira, agosto 27, 2009

HOMENAGEM AO POETA ANIBAL BEÇA

ANIBAL BEÇA



*Poeta Anibal Beça com o poeta Thiago de Mello.

13/09/1946 - 25/08/2009


*Anibal Beça é o nome literário de Anibal Augusto Ferro de Madureira Beça Neto. Natural de Manaus-AM.
*Trabalhou como repórter, redator e editor, em todos os jornais de Manaus. Foi diretor de produção da TV Cultura do Amazonas, Conselheiro de Cultura, consultor da Secretaria de Cultura do Amazonas. Vice-presidente da UBE-AM União Brasileira de Escritores, presidente da ONG “Gens da Selva”, onde atualmente exerce o cargo de vice-presidente, bem como de presidente do Sindicato de Escritores do Estado do Amazonas e presidente do Conselho Municipal de Cultura é membro da Academia Amazonense de Letras.
*No ano de 2007 completa 41 anos de atividade literária e 45 de atuação na música popular, tendo vencido inúmeros festivais de MPB por todo o Brasil. Em 1994 recebeu o Prêmio Nacional Nestlé, em sua sexta versão, com o livro Suíte para os Habitantes da Noiteconcorrendo com 7.038 livros de todo o Brasil.
Ao lado de seus afazeres literários e musicais, destacou-se também em prol da causa da integração cultural latino-americana, seja traduzindo escritores de países vizinhos, ou participando e organizando festivais e encontros de poesia. Representou o Brasil no IX Festival Internacional de Poesia de Medellín, no III Encontro Ulrika de escritores em Bogotá e no VI Encuentro Internacional de Escritores de Monterrey. Sua produção poética tem sido contemplada em importantes revistas:
  • “Poesia Sempre” (Brasil),
  • “Casa de las Américas” (Cuba),
  • “Prometeo” (Colômbia),
  • “Ulrika” (Colômbia),
  • “Revista Armas & Letras” da Universidade de Nuevo León ( México),
  • “Tinta Seca”( México),
  • “Lectura” (Argentina),
  • “Frogpond Haiku”( Estados Unidos),
  • “Amazonian Literary Review” (Estados Unidos),
  • “Mississippi review” (Estados Unidos).

Livros publicados

  • Convite Frugal, Edições Governo do Amazonas (1966),
  • Filhos da Várzea, Editora Madrugada (1984),
  • Hora Nua, Editora Madrugada (1984),
  • Noite Desmedida, Editora Madrugada (1987),
  • Mínima Fratura, Editora Madrugada (1987),
  • Quem foi ao vento, perdeu o assento, Edições Muraquitã (teatro, 1988),
  • Marupiara – Antologia de novos poetas do Amazonas, Edições Governo do Amazonas (organizador, 1989),
  • Suíte para os habitantes da noite, Paz e Terra (1995),
  • Ter/na Colheita, Sette Letras (1999),
  • Banda da Asa – poemas reunidos, Sette Letras, (1999),
  • Ter/na Colheita, Editora Valer (2006, segunda edição),
  • Noite Desmedida, Editora Valer (2006, segunda edição),
  • Folhas da Selva, Editora Valer (2006).
  • Chá das quatro, Editora Valer (2006)
  • Águas de Belém, Editora Muhraida( 2006);
  • Águas de Manaus, Editora Muhraida( 2006).
  • Palavra Parelha reunindo os livros Cinza dos Minutos, Chuva de Fogo, Lâmina aguda, Cantata de cabeceira e Palavra parelha no prelo Editora Topbooks 2007.

Música

  • O Poeta solta a voz - 2001.
  • Duas águas - 2006.
*Fonte biográfica extraída do site:
http://pt.wikipedia.org/wiki/An%C3%ADbal_Be%C3%A7a

- Vejamos um poema de sua autoria:

ÚLTIMO ROUND

Anibal Beça


O vento que de verde tudo varre
não varre esta floresta onde eu habito.
Espana roxas nódoas de um espárringue
que sou eu mesmo a rir por esses ringues.

Porradas que me dou? Mero detalhe,
de quem passou a vida sem ter sido
sendo, o sabido súdito do anárquico.
Não fui, não sou, não quero ser doído.

O menestrel choroso? Este não vale,
perdeu-se pelos socos de outras divas
em noites desbotadas na paisagem.

Mas então, o que fica dessa trilha?
Ora, amigo, nocautes dessa aragem
varrida nos cruzados descaminhos.

(Poeta Anibal Beça)



Um comentário:

Ademar Oliveira de Lima disse...

Estive por aqui em visita ao seu blog!! Abraços Ademar!!