quarta-feira, dezembro 22, 2010

POESIARTE EM FOCO DE CAMILA DE ARAUJO




CARNAVAL

Assistia da janela do quarto a alegria lá fora, ao conseguir manter-me de pé sem desmaiar, devido ao mal estar que surgira com a febre logo naqueles dias de festa.
Este ano a menina vestira-se de colombina, e foi para as ruas, de cara limpa. Os cabelos castanhos que nem chegavam a tocar-lhes os ombros alvos, recebiam chuvas de confete e serpentina, seus dedinhos nas sandálias eram castigados pela multidão dançante, contudo, ela permanecia atenta aos pierrôs e arlequins de olhos puxados ou vestidos de santos. Eu, em casa, continuava com os lábios em brasa, sedentos, rachados, esperando apenas por um beijo seu.
Com a dor percorrendo meu corpo no ritmo de blocos e cordões, imaginei os inúmeros fantasiados embriagados pela cidade. Neste enredo, eu fui o palhaço ao invés do mestre sala, que protege os passos da porta bandeira, cuja flâmula bordada em vermelho representava o meu sentimento. Mas a máscara que cobria o rosto dela desabou antes de fevereiro e revelou um sorriso bobo, infantil, escondendo o mesmo fel que adentrara meu corpo pelo contato de nossas bocas, há algumas semanas atrás.
Animam-se em rodas de samba, ao lado de mulatas e piratas quem quer prosseguir no requebrado noite à dentro, enquanto permaneço, sem a banda que ela me tirou ao legar-me a desilusão, e o coração inflamado, ouvindo de longe as tradicionais marchinhas falando sobre amor.














*Camila de Araujo - escritora carioca e blogueira.

8 comentários:

Stefani disse...

Lindo poema,camis escreve incrivelmente bemm!!

Barbara Nonato disse...

Muito bonito. Curiosamente, como o personagem do enredo, eu também passei vários carnavais com febre. olhando tudo à distância...

CAMILA DE ARAUJO disse...

é uma crônica!
Obrigada xD

Macaco Pipi disse...

essa é das boas
logo fará um livro!

Menina disse...

Amores de carnaval, férias, praia...
Podem ser arrebatadores...
Pobres os corações q se partem por essas paixões.

♥♥NaNnA BeZeRrA♥♥ disse...

A crônica é perfeita. Redonda.
Me fez visualizar a cena e perceber o carinho com q foi escrita.
parabéns!
beijos

Gleise Erika disse...

Texto muito bem escrito!
Gostei *---*
Parabéns pra menina que escreveL.
Foi por isso q gostei, é uma crônica, não sou muito chegada a poesias.

Yza. disse...

Gostei.